Cascavel – O TCE-PR (Tribunal de Contas do Estado) deu início nesta semana à coleta de amostras de pavimentação asfáltica em dez trechos de rodovias estaduais não pedagiadas nas regiões oeste e sudoeste do Paraná, cuja manutenção está a cargo do DER-PR (Departamento de Estradas de Rodagem) por meio de programa que prevê o custo de R$ 2 bilhões.

Técnicos da Quarta Inspetoria de Controle Externo (4ª ICE) do TCE-PR, responsável pela fiscalização do subprograma Cremep (Conservação e Recuperação Descontínua com Melhoria do Estado do Pavimento), que integra o Perc (Programa Estadual de Recuperação e Conservação de Estradas Pavimentadas) do DER, auditam seis contratos no valor de R$ 848 milhões em Cascavel e Francisco Beltrão.

Na primeira fase da auditoria foram identificadas possíveis irregularidades como falhas nos projetos básicos, na fiscalização dos contratos e na execução dos serviços, as quais afetam a qualidade do pavimento.

Já nesta segunda fase, que se estende até dezembro, estão sendo extraídos, com o uso de sondas rotativas, corpos de prova de trechos de rodovias, que serão submetidos a testes quantitativos e qualitativos – avaliação laboratorial dos controles tecnológicos.

Além disso, segundo os auditores, haverá medição do desempenho do pavimento, por meio do levantamento do Índice de Irregularidade Longitudinal, e levantamento deflectométrico, por meio do falling weight deflectometer (FWD).

Ensaios

Ao todo, serão realizados 400 ensaios com o material coletado em quatro campanhas de campo. Também haverá o levantamento dos indicadores de desempenho do pavimento em relação a 400 quilômetros de pista, com uma taxa de amostragem de cerca de 25%.

Até esta sexta-feira (26), os procedimentos estão sendo realizados nas cidades e trechos da região de Francisco Beltrão e Cascavel.

Os auditores contam com a participação de uma empresa técnica especializada, que foi contratada pelo TCE-PR para apoiar os trabalhos de campo.

Além dos representantes do DER-PR e das empresas de consultoria contratadas pelo órgão, as empreiteiras responsáveis pela execução dos serviços do programa acompanham os procedimentos.