A história do haitiano Edson Jealfralçois, de 14 anos, serviu como exemplo para que outros adolescentes assim como ele tivessem oportunidade de aprender a jogar tênis de mesa.

O professor de História Edson Gavazzoni foi quem idealizou um projeto social ao saber que o haitiano que chegou a Cascavel há dois anos demonstrava interesse, mas não tinha condições de praticar o esporte.

“Ele improvisava uma raquete com o chinelo e batia a bolinha na parede bruta de casa. Tornei então um espaço que não era muito utilizado pela comunidade em local de treinamento”, diz o professor ao se referir ao salão comunitário do Bairro Pioneiros Catarinenses. Mesmo antes disso, ele já havia incentivado o haitiano a seguir no esporte. “Conversei com o meu filho e com a minha esposa e decidimos levar uma mesa de tênis de mesa que estava em casa para ele e também entreguei bolinhas profissionais para o jogo”, comenta o professor.

O esporte é uma paixão para os dois Edson, e hoje o haitiano junto com outros dois colegas de mesma origem, Wilton e Mey, integra a equipe de tênis de mesa do Colégio Estadual Padre Carmelo Perrone de Cascavel que terá um desafio à frente.

“Esta é a primeira vez que o colégio terá uma equipe de tênis de mesa nos Jogos Escolares do Paraná”, comenta orgulhoso o professor.

Até a estreia dos jogos na próxima semana, os alunos intensificam os treinos. “Estamos treinando quase todos os dias à tarde”, comenta o haitiano Edson.

O adolescente que trocou o chinelo pela raquete está confiante com a competição e espera orgulhar mais uma vez o colégio pelo exemplo de superação e história. “Comecei a jogar faz quase ano e agora acho que estou bem melhor. Espero que a gente consiga ganhar os jogos”, diz ele.

O colega Wilton vê nele a inspiração para seguir em frente no esporte. “Eu não conhecia nada de tênis de mesa, mas o Edson trouxe a raquete no colégio e eu também quis jogar. Agora treinamos juntos”.

Na equipe que representará o Colégio também está Igor Gavazzoni, um pouco mais experiente e sempre disposto a auxiliar os atletas haitianos. “Vejo que se esforçam e estão jogando bem. Temos chances de medalhas”, avalia o aluno que no ano passado participou de sete etapas de jogos da modalidade no Estado, representando Cascavel.

Reforço

Além dos treinos no pátio colégio, os alunos têm compromissos no salão comunitário do Bairro Pioneiros Catarinenses onde o projeto do professor Edson Gavazzoni foi iniciado e ganhou visibilidade.

“Conseguimos firmar parceria com a Associação dos Mesatenistas de Cascavel e eles passaram a usar o salão comunitário como o local de todos os treinos. Os alunos que tínhamos passaram a ser cuidados pelos técnicos da equipe de Cascavel e treinam junto com uma das melhores equipes de tênis de mesa do Paraná”, destaca.

O professor acredita que o projeto ainda terá muitas conquistas. “Estamos com esperança de que ainda neste semestre, novos alunos possam participar das etapas do Campeonato Paranaense de Tênis de Mesa”.

A abertura dos JEPs (Jogos Escolares do Paraná) – fase municipal será nesta sexta-feira (20) no Ginásio Sérgio Mauro Festugatto às 19h. A competição reúne 1.600 alunos de 51 colégios públicos e privados de Cascavel nas disputas de futsal, atletismo, basquete, handebol, vôlei, vôlei de praia, tênis de mesa, taekwondo e xadrez. Os compromissos da equipe do Colégio Padre Carmelo Perrone terão início na próxima terça-feira.