Adelina Fauri Frare

Nasceu: 20 de julho de 1923

Faleceu: 6 de janeiro de 2019

Nascida no dia 20 de julho de 1923, em Encantado, no Rio Grande do Sul, Adelina Fauri Frare se casou em outubro de 1944 com André Roberto Frare e teve cinco filhos: Luiz, Ivone, Maria, Genor, Helio e Jairo Frare. E, em 1965, Adelina e a família fizeram de Cascavel seu novo lar.

Dona Adelina, como era conhecida, viveu uma união de 71 anos com André. Na celebração das bodas de vinho, quando comemoraram 70 anos juntos, “o sacerdote que celebrava a missa perguntou à mãe qual o segredo de permanecerem juntos por tanto tempo, e ela respondeu ‘paciência’”, conta o caçula Luiz Frare.

Adelina era uma mãe dedicada e prezava muito a união da família. “A saúde dos filhos vinha em primeiro lugar, depois a união da família. Ela exigia que estivéssemos todos os domingos tomando o café da manhã na casa dela. Ela era uma pessoa muito especial, dedicada, paciente, protetora, amiga, meiga, prestativa, acolhedora… Enfim, uma mãezona”, lista Luiz.

Grande impacto

O falecimento de Adelina Frare pegou a família de surpresa: “Levamos um choque, pois não estávamos preparados para isso”, conta Luiz Frare. “O impacto foi muito grande. Ela passou o Natal e o Ano-Novo com muita alegria e descontração. Mesmo com seus 95 anos de idade, ela continuava lúcida, com uma vontade enorme de viver. Sempre que tinha oportunidade nos dava sábios conselhos e adorava cantar e contar histórias da vida”.

Luiz conta que ela foi levada ao hospital com uma crise de asma, até então algo simples e até comum: “Achávamos que, como sempre, ela sairia andando e dando risada. Porém, o quadro se agravou repentinamente e em dois dias ela faleceu”.

Adelina ainda teve tempo de se despedir dos seus tesouros: “Filhos, continuem sempre unidos”.

Despedida

Adelina Fauri Frare faleceu no dia 6 de janeiro de 2019, vítima de insuficiência respiratória e renal aguda. O velório foi realizado na Acesc e o corpo sepultado no Cemitério Central de Cascavel. Amigos e parentes foram prestar as últimas homenagens. Somando filhos, noras, netos e bisnetos, Adelina deixou 33 pessoas do seu clã.