O abatimento desapareceu do rosto de Robert Scheidt. Mesmo com o adiamento da regata que vai definir o pódio da classe Laser na segunda-feira por falta de ventos, o brasileiro disse que está recuperado da decepção por estar fora da briga pelo ouro. Na classe Finn, Jorge Zarif também tenta a recuperação para subir ao pódio. Vela – 15/08

Os dois só têm chances de conquistar o bronze, mas dependem de uma combinação de resultados. As regatas começam às 13h.

SCHEIDT SE DIZ ANIMADO

Scheidt está em quinto lugar no quadro geral, dez pontos atrás do neozelandês Sam Meech, em terceiro. Precisa, portanto, terminar a prova cinco posições à frente de Meech e uma do francês Jean Baptiste Bernaz, que está em quarto. Também não pode ficar atrás do britânico Nick Thompson, que apesar de ser o sexto na classificação geral, tem a mesma pontuação do brasileiro.

? Há dois dias, foi muito ruim para mim. Eu estava decepcionado, mas ter tido o dia livre ontem (domingo) me ajudou a relativizar um pouco as coisas e pensar que tenho uma chance. Hoje (segunda) estava bem animado para velejar, mas não vai ter. Tenho de continuar com esse foco, com esse pensamento positivo e ir para a briga ? disse Scheidt, na segunda.

LEIA TAMBÉM: Scheidt vai à torcida e é tietado, enquanto filho troca pins até com agentes da Força Nacional

“JÁ ACONTECEU”, DIZ ZARIF

A missão de Zarif é um pouco mais difícil, porque ele precisa chegar seis posições à frente do croata Ivan Gaspic. O brasileiro está na sexta posição com 81 pontos perdidos, doze a mais que o terceiro lugar geral, o atleta da Croácia.

Zarif também tem de terminar três posições à frente de Caleb Paine (Estados Unidos) e Max Salminen (Suécia). Os dois estão à frente do brasileiro, com 74 pontos perdidos.

? Matematicamente é difícil. Até já aconteceu de atletas em situações piores virarem o jogo. Aconteceu em Londres, na classe Star. Então, vamos acreditar, dar tudo na última, tentar ganhar a regata. Se der, deu. Se não der, é uma pena ? afirmou o brasileiro no domingo.

A regata das medalhas vale o dobro da pontuação normal. Assim, o vencedor da prova soma dois pontos, o segundo lugar soma quatro, e assim por diante. Apenas os dez melhores velejadores da fase classificatória participam da regata.

BRASILEIROS SEM CHANCES NO NACRA 17

Isabel Swan e Samuel Albrecht também participam da regata das medalhas da classe Nacra 17 nesta terça, mas não têm chances de subir ao pódio. Eles se classificaram em décimo lugar.

Os atletas brasileiros ainda têm chances de medalha com as duplas femininas nas classes 470 feminino e 49erFX, que ainda estão na fase classificatória. As provas decisivas acontecerão quarta e quinta-feira.

APP RIO OLÍMPICO: Baixe grátis o aplicativo e conheça um Rio que você nunca viu

Conheça todos os esportes olímpicos da Rio-2016