Curitiba – Em carta enviada para o Encontro Nacional do PT, que oficializou nesse sábado sua candidatura ao Planalto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu o direito de ser candidato nas eleições 2018 e fez um apelo aos militantes para que o defendam na campanha presidencial.

"Já derrubaram uma ‘presidenta’ eleita; agora querem vetar o direito do povo escolher livremente o próximo presidente. Querem inventar uma democracia sem povo", diz o texto escrito pelo petista e lido durante o evento.

Lula disse que seus opositores querem fazer uma eleição com "cartas marcadas" e que a democracia no País está ameaçada. Ele pediu ainda o "empenho de cada um" para a vitória do partido na disputa.

"De onde me encontro, estou sempre renovando minha fé de que o dia do nosso reencontro virá, pela vontade do povo brasileiro", escreveu.

A leitura da mensagem de Lula foi precedida por um discurso da ex-presidente Dilma Rousseff, que disputará o Senado por Minas Gerais. Ela disse que vai para a campanha defender Lula e se posicionar contra os autores do "golpe", em referência ao processo de impeachment.

A petista pediu ainda "calma" à vereadora do Recife Marilia Arraes, que tentou ser candidata ao governo de Pernambucano, mas teve sua candidatura retirada pela cúpula nacional da legenda, em um acordo com o PSB.

O PT não oficializou ainda candidato a vice-presidente.