Criado para facilitar a entrada de adolescentes, jovens e novos profissionais no mundo do trabalho, o Programa de Aprendizagem desenvolvido pelo Centro de Integração Empresa-Escola do Paraná – CIEE/PR, beneficiou, nos últimos 15 anos, 24,5 mil jovens em todo estado. A iniciativa contempla os objetivos da Lei n.º 10.097/2000 e auxilia as empresas no cumprimento das cotas obrigatórias para contratação de aprendizes, estabelecida entre 5% e 15% em relação ao total de funcionários do estabelecimento.

De acordo com a gerente da Divisão de Capacitação e Cidadania do CIEE/PR, Simone Paulin, além da questão legal, o programa promove uma formação ampla para o estudante. “A iniciativa garante preparação, apoio e formação para o mundo do trabalho porque alia a capacitação teórica à prática e ao atendimento multidisciplinar. Também assegura a permanência do adolescente e do jovem na escola, uma vez que a frequência nas aulas é obrigatória para a continuação no programa de aprendizagem”, afirma.

Diferentes áreas

O programa desenvolvido em todo o estado do Paraná oferta cursos nas áreas de Serviços Administrativos, Produção Industrial; Comércio e Varejo; Varejo e Supermercado e Telesserviços/Telemarketing e é destinado a jovens estudantes com idades entre 14 e 24 anos — ou pessoas com deficiência (PCD) de qualquer faixa etária — que estejam cursando os últimos anos do Ensino Fundamental, Médio ou Superior de instituição pública ou bolsista de instituição privada e atende prioritariamente, mas não exclusivamente, adolescentes e jovens em situação de vulnerabilidade social.

Segundo a gerente, quando um adolescente em situação de vulnerabilidade ingressa no Programa de Aprendizagem, ele ganha uma nova perspectiva. “A aprendizagem transforma vidas: do aprendiz, da família e da comunidade. Ao longo desses anos, muitos participantes do programa, que eram socialmente invisíveis, se tornaram pessoas conscientes dos direitos e conseguiram buscar os sonhos, o que, sem a aprendizagem, na maioria dos casos, seria muito difícil”, explica.

O morador de Toledo, Oeste do Paraná, e ex-aprendiz de Recursos Humanos, Victor Henrique Zamaro, atualmente atua como recrutador de aprendizes na empresa em que trabalha, e reforça como o programa ajudou a garantir boas oportunidades. “Tive diversos aprendizados que, juntamente com a capacitação teórica, me proporcionaram uma visão diferenciada sobre oportunidades e vida profissional”, declara.

De acordo com a gerente do CIEE/PR, atualmente a entidade registra 4,8 mil aprendizes, número que representa quase um quinto do total consolidado nos últimos 15 anos de atuação. “Nesse período, participamos da transformação de vida de milhares de jovens. Por isso a importância de comemorarmos essa data de forma muito festiva”, finaliza Simone.