Foto: Celso Dias 

 

Cascavel – Uma das obras mais complexas em andamento na malha viária do Paraná, a readequação do Trevo Cataratas, em Cascavel, atingiu 24% de execução neste mês de agosto, dez meses após o início das obras.

Os serviços estão concentrados no canteiro central desde 1º de agosto.

Estão sendo realizadas obras de drenagem e construção dos muros de contenção, as fundações das estruturas de concreto dos dois novos viadutos que vão elevar a BR-277 no sentido a Foz do Iguaçu. A área central da obra receberá 5 quilômetros de novas vias.

De acordo com a Ecocataratas, as obras estão dentro do cronograma previsto e devem ser concluídas em outubro de 2022 (um ano após o fim dos contratos de concessão).

A partir das intervenções na parte central, o tráfego de veículos foi desviado para um anel viário em torno da obra, que recebe todo o tráfego da BR-277, da BR-369, da BR-467 e da Avenida Brasil, construído justamente para retirar o tráfego da área central do trevo.

O Trevo Cataratas é um dos principais gargalos rodoviários do País, que reúne as rodovias BR-369, no sentido de Maringá; a BR-277, entre Guarapuava e Foz do Iguaçu; a BR-467, em direção a Toledo; e a Avenida Brasil, principal via de acesso a Cascavel, com fluxo estimado em 45 mil veículos por dia, ou 3,3 mil por hora em picos.

A obra vai contar com a construção de dois viadutos de 900 metros, passarelas com escadas e rampas, nove quilômetros de vias, 230 novos postes de iluminação e dois quilômetros de redes de bueiros. Ela integra um pacote de projetos que começaram a ser executados com recursos do acordo de leniência, de R$ 400 milhões, firmado pela EcoRodovias com o MPF (Ministério Público Federal).

Uma condição imposta pelo órgão ambiental estadual à concessionária para aprovar a obra foi a obrigação de que o trevo tenha bacias de contenção subterrâneas. A obra será construída em cima da transposição do Rio Cascavel, afluente do Rio Iguaçu e que abastece 70% da população do Município. No caso de um acidente, as bacias de contenções terão suporte técnico para armazenar até 400 mil litros de efluentes derramados na pista, visando a proteção do rio.

 

Acordo de Leniência

A EcoRodovias, grupo que controla a Ecovia e a Ecocataratas, fará investimentos de R$ 150 milhões ao longo da BR-277, principal corredor rodoviário e de exportação do Paraná dentro do Acordo de Leniência.

O acordo prevê R$ 130 milhões para a execução da readequação do Trevo Cataratas, mais obras na BR-277 entre Cascavel e Guarapuava, com a criação de cerca de 13 terceiras faixas que somam 14,1 quilômetros em Guaraniaçu, Laranjeiras do Sul e Guarapuava, o novo viaduto da entrada de Cascavel, e R$ 20 milhões em intervenções da Ecovia, no trecho entre a Região Metropolitana de Curitiba e o litoral.