Mesmo com toda a mobilização de entidades, lideranças, empresários e autoridades do Oeste do Paraná, a região vai ganhar novas praças de pedágio, conforme confirmou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, durante reunião em Curitiba na última quarta-feira (11), oportunidade em que apresentou o projeto final do novo modelo de pedágio no Estado, o qual prevê menor tarifa, sem limite de desconto e com a garantia de R$ 44 bilhões em obras. As informações são de O Presente.

Entre Toledo e Cascavel, a praça de pedágio será construída no Km 89 da rodovia. Ou seja, ficará a dois quilômetros de Sede Alvorada, distrito de Cascavel.

A tarifa inicial proposta será de R$ 7,56 para carros de passeio. Mesmo com um possível desconto da empresa vencedora, a comunidade regional considera o valor alto para uma rodovia duplicada.

Em reação contrária à implantação da praça, grupos estão se formando neste fim de semana pelas redes sociais e WhatsApp, engrossando um movimento intitulado “Oeste contra o pedágio”. Em um deles, centenas de moradores da região organizam uma manifestação para esta segunda-feira (16), a partir das 16h, em frente às Câmaras de Vereadores de Cascavel e Toledo.

Objetivos

O principal objetivo do grupo é tentar mobilizar os políticos que representam a região para que as novas praças de pedágio sejam retiradas do projeto. Além disso, eles cobram que as tarifas iniciais tenham desconto maior.

A manifestação desta segunda-feira também tem como objetivo pressionar os deputados estaduais para que não aprovem a cessão das rodovias do Estado para a União. A votação do projeto deverá ocorrer na próxima quarta-feira (18), na Assembleia Legislativa do Paraná.

Além da manifestação entre Cascavel e Toledo, outras manifestações serão realizadas em todo o Estado do Paraná com o mesmo objetivo.

Nestes grupos de WhatsApp circula um vídeo com a opinião dos prefeitos de Toledo, Beto Lunitti, de Marechal Cândido Rondon, Marcio Rauber, e de Cascavel, Leonaldo Paranhos.

Fonte: O Presente de Marechal