Toda vez que a unidade geradora da usina hidrelétrica de Itaipu entra em uma parada para manutenção preventiva, uma das primeiras atividades é iluminar os locais onde as equipes vão trabalhar. O sistema de iluminação provisória, que leva luz a cantos tão escuros como a caixa espiral ou o tubo de sucção, passou por uma recente modernização, coordenada pelo pessoal da Divisão de Manutenção de Equipamentos de Geração (SMMG.DT).

“Nós aproveitamos a aquisição da impressora 3D pela Divisão de Laboratório e aperfeiçoamos o sistema”, conta Cleomar Schmoller (SMMG.DT), um dos idealizadores do novo formato. A modernização foi projetada tendo como base 3 pilares: eficiência, ergonomia e segurança. Com isso, proporcionou a redução de 60% do consumo de energia, melhorou a eficiência luminosa, aumentou a durabilidade dos faróis e lâmpadas, reduziu o peso do conjunto de iluminação, facilitando o trabalho dos técnicos de manutenção e, principalmente, melhorou a segurança das pessoas que estão trabalhando nos locais iluminados.

O sistema é formado por 64 faróis e 32 lâmpadas, todos em iluminação LED, além de 5 painéis de comando. São vários módulos utilizados em diferentes locais, todos feitos em plástico e confeccionados pela impressora 3D da Divisão de Laboratório. Internamente, o módulo comporta imãs de neodímio, para serem fixados em qualquer parte das estruturas metálicas, além das passagens de cabos para os plugs de alimentação.

No modelo anterior, eram utilizados faróis auxiliares automotivos com lâmpadas halógenas fixadas em uma base magnética – como um grande imã de autofalante – e refletores com lâmpada a vapor de mercúrio. Além de modernizar o tipo de iluminação, com mais eficiência e luminosidade 3 vezes mais potente, o novo formato ficou bem mais leve. “Cada conjunto antigo pesava cerca de 5 quilos, o atual modelo não chega a 500 gramas”, diz Cleomar.

Foram feitos vários protótipos até chegar ao formato atual. Cada ambiente tem um módulo de iluminação diferente. No gerador, por exemplo, o técnico Eduardo Sedrez da Silva (SMMG.DT) aposentou a lanterna de cabeça e trocou por um módulo com duas lâmpadas, que é fixado na estrutura metálica e ilumina as barras estatóricas. Cada conjunto é alimentado por um cabo conectado a um painel que converte a tensão para 24 V, conforme preconizam as normas de segurança para instalações de circuitos de alimentações elétricas no interior das unidades geradoras.

Os sistemas de iluminação provisória são instalados em locais como: a escotilha de acesso da caixa espiral, ao redor do pré-distribuidor, na escotilha de acesso ao tubo de sucção, na escotilha de acesso localizada na cota 179, no trabalho de resgate de peixes feito pela equipe da Coordenação a jusante e a montante, e no interior das guias de ar superior.

Fotos: Sara Cheida / Itaipu Binacional