Jovens paranaenses vão estudar medicina na Rússia

Danilo, de Foz do Iguaçu, e Victória, de Curitiba, ingressaram em uma das melhores universidades do país europeu

Por diversos motivos, estudar fora é um desejo de muitos brasileiros, e dois jovens do Paraná vão tornar esse sonho realidade em breve. Danilo Alencar Campos Levandowski, de Foz do Iguaçu, e Victória de Assis Rocha, de Curitiba, embarcam no dia 17 de fevereiro com destino à Rússia para estudar medicina na Universidade Médica Estatal de Kursk, considerada uma das melhores do país europeu no ensino em língua inglesa.

Ambos contaram com o apoio da Aliança Russa, representante oficial das principais universidades russas no Brasil desde 2005. O trabalho da instituição consiste na seleção dos candidatos, no processo de orientação da faculdade, no recolhimento da documentação necessária para permanência legal do estudante na Rússia, na obtenção da vaga, inscrição na universidade e na assessoria durante a viagem.

“Sempre tive a vontade de fazer a graduação fora do País e fiquei sabendo que o filho de um casal de amigos dos meus pais estava cursando medicina na Rússia. Entramos em contato, recebemos boas referências e, a partir daí, com o auxílio da Aliança Russa, passamos a cuidar dos trâmites burocráticos”, conta Victória, de 21 anos.

Já Danilo, de apenas 17 anos, ficou sabendo sobre o programa da Aliança Russa ao ler uma reportagem a respeito de um aluno que estava embarcando para a Rússia. “Fiquei interessado. Comecei a pesquisar sobre a Universidade Médica Estatal de Kursk e gostei do que vi. Meus pais estavam um pouco receosos no começo, mas ficaram tranquilos quando souberam que há todo um suporte para novos alunos”, conta.

Tanto Danilo quanto Victória pretendem ficar na Europa após a conclusão do curso, uma vez que, desde 2010, o chamado Diploma Único de Estudos Superiores da Europa, do qual a Rússia faz parte, passou a valer conforme o Tratado de Bolonha.

Baixo custo

Além da qualidade do ensino, a questão do custo também foi um chamariz para os dois jovens. Isso porque o governo russo subsidia os alunos estrangeiros que vão para o país estudar, o que diminui consideravelmente os preços. O semestre sai por aproximadamente US$ 3.100 (cerca de R$ 2.170 por mês, considerando o câmbio do dia 20 de janeiro. O valor é fixo até o aluno se formar), incluindo hospedagem e seguro médico. Valor muito inferior ao cobrado no Brasil.

Ao voltar para o país, se assim desejar, o estudante submete o diploma ao processo de reconhecimento em uma universidade brasileira, o Revalida, que é um procedimento padrão para qualquer aluno que faça graduação em centros de ensino estrangeiros. Cerca de 80% dos estudantes obtêm o registro no Conselho Regional de Medicina no mesmo ano em que chegam.

No total, mais de 100 médicos brasileiros já se graduaram pela instituição e agora atuam em hospitais e clínicas nos quatro cantos do País. Outros 500 estudam atualmente medicina na Universidade Médica Estatal de Kursk.

Oportunidade

Aos interessados em estudar medicina na Rússia e tirar o diploma no exterior, as inscrições para a turma da Faculdade Preparatória de Kursk (onde os alunos aprendem física, química, biologia, inglês e russo, antes do curso com duração de seis anos) de abril de 2020 e para o segundo semestre na Universidade Médica Estatal de Kursk já estão abertas. Para mais informações, entre em contato com a Aliança Russa: telefone: (11) 4551-3836 e www.aliancarussa.com.br.

 



Fale com a Redação

2 × dois =