alexandre de moraes.jpgRIO ? O ministro da Justiça e Cidadania, Alexandre de Moraes, defendeu que o processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff deveria ser julgado pelo Senado antes do início da Olimpíada do Rio, que vai de 5 a 21 de agosto. A declaração foi dada em entrevista ao jornalista e colunista do GLOBO Jorge Bastos Moreno, no programa Preto no Branco, veiculado na noite deste domingo pelo Canal Brasil. De acordo com assessores do presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski, que conduz essa fase do processo, o julgamento final de Dilma, no entanto, não ocorrerá antes do dia 26 de agosto.

Impeachment ? 06/07

? Eu diria, seja como político ou jurista, que obviamente seria melhor que (a questão do impeachment) fosse decidida antes do evento olímpico ? disse o ministro, acrescentando:

? Essa incerteza leva à impaciência, e a impaciência leva, às vezes, a manifestações mais exacerbadas que acabam derivando para quebra-quebra, para dano ao patrimônio público ou privado. Então, o ideal seria obviamente que houvesse o julgamento antes, mas, pelo cronograma que o Supremo Tribunal Federal elaborou, isso deve ficar para depois. Então, também não afetará as Olimpíadas.

Na entrevista, Alexandre de Moras também voltou a se posicionar a favor das investigações da Operação Lava-Jato e do uso da delação premiada, classificada por ele como “instrumento eficaz para que a gente pare de enxugar gelo”. Também negou que haverá mudança no comando da Polícia Federal.

? É uma investigação importantíssima e eu posso garantir em meu nome, em nome do presidente Michel Temer, que todo apoio do Ministério da Justiça vem sendo dado, será dado e qualquer coisa que a Polícia Federal precise, que o Ministério Público Federal precise, ou que o juiz Sérgio Moro precise da parte do executivo terão. Isso eu disse de viva voz, quando visitei não só o juiz Sergio Moro em Curitiba, quanto a toda força-tarefa do Ministério Público e a nossa Polícia Federal.

Perguntado se há preocupação do governo com possíveis manifestações anti-Temer durante o evento esportivo, o ministro garantiu que não haverá “repressão à liberdade de manifestação”.

? Desde que seja a liberdade de manifestação, seja a favor do governo, contra o governo, a favor do impeachment ou contra o impeachment, não há nenhum problema, desde que não transborde do direito de manifestação, que a Constituição garante, para a criminalidade.

Sobre a segurança durante a Olimpíada do Rio, Moraes garante que a área terá “o mesmo sucesso da Copa do Mundo”, ocorrida em 2014. O ministro também voltou a dizer que um atentado terrorista, envolvendo o Estado Islâmico, é improvável, mas possível, “como no resto do mundo”.

? Não há probabilidade, mas não se descarta a possibilidade. Por isso, nós estamos trabalhando como se pudesse ocorrer, mas não há presença do Estado Islâmico no Brasil ? declarou, citando o intercâmbio das forças de segurança brasileiras com agências de inteligência de 83 países.