Reportagem: Josimar Bagatoli

Diante da ampla demanda de pacientes por consultas médicas na zona norte de Cascavel, a prefeitura definiu um investimento que tende a gerar mais conforto aos moradores quando precisarem atendimento do SUS (Sistema Único de Saúde).

Foi publicado nesta sexta-feira o edital para contratação de empresa responsável pela construção do Complexo de Atenção à Saúde Primária Floresta. A estrutura é considerada uma “MegaUSF” (Unidade de Saúde da Família) e vai abrigar quatro ESFs (Equipes de Saúde da Família). Cada equipe é composta, no mínimo, por um médico generalista, um enfermeiro, um auxiliar de enfermagem e seis agentes comunitários de saúde.

A região aguarda há muito tempo por um investimento nessa proporção, especialmente desde que recebeu os assentados do Jardim Gramado, no Conjunto Sanga Funda, e por último os novos moradores do Conjunto Riviera.

Em 2011, a região norte chegou a ver iniciada a terraplanagem da área para a construção da UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) Sanga Funda. Os recursos ficaram disponíveis no caixa da prefeitura, mas voltaram para o Ministério da Saúde: a vencedora da licitação não executou a obra. Agora, o mesmo terreno será usado para a construção da “MegaUSF”.

O valor máximo da licitação será de R$ 3.965.540,87, com abertura prevista para o dia 19 de setembro, às 14h. A estrutura deverá ser entregue em dez meses pela vencedora. A unidade deverá atender das 7h às 22h. “Hoje só existe uma UBS [Unidade Básica de Saúde] e tem insuficiência de consultas e maior foco na parte curativa. Com quatro equipes de ESFs, acabam as filas de madrugada e o acesso às consultas aumenta expressivamente, com foco no trabalho preventivo”, ressalta o secretário de Saúde, Thiago Stefanello.