Fim da janela: Área plantada de milho passa de 50% no oeste

A colheita da soja avança mesmo com as chuvas de verão que atingem toda a região quase que diariamente

Reportagem: Cláudia Neis

Cascavel – Com o fim do período de plantio do milho safrinha com garantia de crédito e seguro do Proagro (Programa de Garantia da Atividade Agropecuária) nessa quinta-feira (20), enquanto muitos produtores ainda estão com a terra com soja a ser colhida, a redução da estimativa de área plantada na região oeste chega a 12% em Cascavel e 6% em Toledo, mas esse percentual pode ser maior. Dados precisos só serão divulgados em meados de abril, após o fim da colheita da soja. Isso porque produtores podem fazer ainda o plantio do milho apesar de fora do zoneamento agrícola mas ainda com margem de segurança em relação às condições climáticas que podem atrapalhar a cultura.

Isso ocorre porque houve atraso no plantio da soja, ano passado, em mais de um mês devido à estiagem.

De acordo com o Deral (Departamento de Economia Rural) do Paraná, a área de milho safrinha na região oeste – nas regionais de Cascavel e Toledo – já chegava a 50% do estimado no último levantamento realizado na terça-feira (18). No Estado, o percentual de plantio é de 32%. “Em Cascavel, a estimativa é de que sejam plantados 274 mil hectares e em Toledo, 419 mil. Levando em conta as duas regionais, já temos mais de 50% plantado, uma vez que a área cresce a cada dia”, explica Edimar Gervásio, analista de milho do Deral.

Colheita da soja

A colheita da soja avança mesmo com as chuvas de verão que atingem toda a região quase que diariamente. Da área total da cultura no Estado, foram colhidos 22%. Na região oeste, o percentual já retirado do campo é maior. “Na regional de Toledo já temos 42% da área colhida e em Cascavel, 41%. Os trabalhos avançam mesmo com a chuva quase que diariamente e até a metade de abril deve estar concluída na região”, afirma o economista Marcelo Garrido Moreira, do Deral.

Na Regional de Toledo, 78% da área de soja está em fase de maturação, e, na de Cascavel, o percentual chega a 90%. No Paraná, 51% das lavouras estão na fase final do cultivo.

Alta produtividade

Apesar do susto no início do plantio, prejudicado por causa da seca, a produtividade das lavouras no oeste tem surpreendido. “Os números por hectare estão surpreendendo muito, e positivamente. Depois de algumas lavouras que sofreram mais com a estiagem apresentarem números mais baixos, agora a produtividade média na Regional de Cascavel chega a 3.985 kg/ha e em Toledo, 3.720 kg/ha. São números muito bons e a expectativa é de que se mantenham ou até aumentem até o fim da colheita”, afirma Garrido.

 



Fale com a Redação

17 − quinze =