EXCLUSIVO

Meritocracia no STF

A maioria da população brasileira é a favor da mudança do processo de escolha de ministros para o Supremo Tribunal Federal, sem passar pela mesa dos presidentes da República, como é feito no Brasil. Sondagem nacional inédita da Paraná Pesquisas/Coluna Esplanada revela que 82,8% dos entrevistados responderam que o STF “deveria ser formado somente por juízes de carreira, através de concurso, sem intervenção política”. Outros 10% disseram que o modelo não deve ser alterado, e o percentual dos que “não sabe/não opinou” ficou em 7.2. Dos entrevistados, 53,6% discordam das decisões recentes dos ministros da Suprema Corte; 26,4% concordam e 19,9% não souberam opinar. A Paraná ouviu 2.416 pessoas de 200 cidades nos 26 Estados e DF de quinta-feira a ontem, em pesquisas pessoais telefônicas não robotizadas.

Conselho e mandatos

Em edições passadas, a Coluna já citou como é o processo de escolha em outros países. Em alguns deles os ministros são escolhidos por entidades de classe ou conselho de notáveis da sociedade. Em outros, pelo Parlamento. Algumas nações impõem mandato.

 

Outros países

O Brasil segue o modelo americano, cuja escolha é do presidente e avalizada, ou não, pelo Congresso. Veja exemplos de outros países no link https://bit.ly/3aUNCNd

 

A Carta

A despeito de ministros seguirem a Constituição e suas interpretações sobre os Códigos de Processo Penal e Civil, decisões polêmicas recentes dividiram a opinião popular.

 

Sentenças

Entre as que mexeram com o clamor popular – evidenciado nas redes sociais – a absolvição do ex-presidente Lula; a soltura, em decisão monocrática, de um traficante perigoso; e o inquérito contra supostos ataques ao STF criticado por cercear liberdade de expressão.

 

Jogador

O ex-senador pernambucano Armando Monteiro Neto é mestre em jogadas. Tão logo se filiou ao PSDB, lançou a prefeita do mesmo partido em Caruaru como o nome ao Governo do Estado. Ela gostou, agradeceu e passou a fazer planos para sua gestão. Como estamos longe das eleições, sua candidatura pode perder musculatura e Armando ser a ‘opção’ natural.

 

Imagem na Europa

A Casa do Brasil em Lisboa, na Rua Luz Soriano, sustenta uma mega faixa na fachada com a frase ‘Bolsonaro genocida’. A ONG surgiu nos anos 90 e auxilia imigrantes.

 

Mais um

O Congresso Nacional, que não paralisou suas atividades em fevereiro e março – pico da visita de mais de mil prefeitos e vereadores atrás de verbas – tem mais uma vítima. Morreu de covid-19 o policial legislativo Pedro Ricardo Carvalho, ex-diretor da instituição.

Briga verbal

 A antropóloga Débora Diniz, que processou a ativista bolsonarista Sara Winter, ganhou indenização de R$ 10 mil por danos morais. Cabe recurso.

Mercosul trintou

Celso Amorim, ex-ministro das Relações Exteriores, faz palestra hoje no canal do Youtube do Instituto dos Advogados Brasileiros, sobre os avanços e retrocessos em 30 anos do Mercosul. O diplomata fará a conferência de abertura do evento sobre o tema.

 

Aliás…

… Como faz falta nestes tempos a sobriedade, polidez do discurso e experiência do ex-presidente Itamar Franco, o maior entusiasta do Mercosul, criado na sua gestão.

 

MERCADO

Presas fáceis

O investir Janguiê Diniz é comparado a uma águia no mercado brasileiro. Um dos maiores empreendedores da educação no País investe pesado no setor TI. Sua última aquisição foi 25% da startup Bossa Nova, sem divulgar o valor da operação, que ficou em alguns milhões.

 

O voo solo

Ex-engraxate na Paraíba e hoje na lista da Forbes (US$ 2 bilhões em patrimônio) Janguiê cresceu no setor educacional. Antes, foi juiz no TRF6ª, procurador do Ministério Público da União, professor de direito no Recife, com mestrado e doutorado pela UFPE. Tem negócios diversificados. E até um zoo particular em Manaus, sob tutela da sua faculdade Unama.

*Coluna editada às 10h09 de 04/05/2021 – corrigida a nota Briga Verbal