O Departamento de Estradas de Rodagem (DER/PR) publicou nessa sexta-feira (19) a notificação de vencedor da licitação para duplicar a Rodovia do Minérios em Almirante Tamandaré, na Região Metropolitana de Curitiba. A empresa que arrematou a fase de lances na semana passada apresentou uma nova proposta de preço, adequada ao valor ofertado de R$ 50,7 milhões e teve a sua documentação aprovada pela comissão de julgamento.

Com a notificação publicada no portal Compras Paraná, tem início o prazo de cinco dias úteis para interposição de recurso das demais participantes quanto ao resultado, seguido por prazo igual para contrarrazões da vencedora, caso haja algum recurso.

Após este período, começam os trâmites para assinatura de contrato e emissão de ordem de serviço para início dos trabalhos. Como a duplicação foi licitada na modalidade Regime Diferenciado de Contratação Integrada (RDCi), que permite a contratação de projeto e obra em um mesmo edital, os primeiros meses de vigência serão dedicados à elaboração de projeto básico e projeto executivo de engenharia, com os serviços no trecho sendo realizados na sequência. O prazo de execuçãoé de 540 dias (18 meses).

A obra prevê uma nova interseção em desnível tipo diamante no entroncamento com a Rodovia do Calcário (PR-509), com dois viadutos paralelos e duas rotatórias, além de uma alça exclusiva para o fluxo de trânsito entre Almirante Tamandaré e Curitiba, reduzindo os entrecruzamentos na via.

A pista central do trecho, entre o km 14,3 e o km 15,6, será alargada para ambos os lados, com o pavimento atual sendo substituído por placas de concreto de cimento Portland de 28 centímetros de espessura, com vida útil de 20 anos.

Serão duas pistas de rolamento de 3,60 metros em cada sentido, separadas por uma barreira central de concreto tipo New Jersey e acostamentos internos de 1 metro de largura, além de acostamentos externos de 2,50 metros de largura. A velocidade projetada para a pista central é de 80 km/h.

Também está prevista a implantação de vias marginais nos dois lados da rodovia, uma passarela, passeios e ciclovias, iluminação viária, sinalização horizontal e vertical. Os passeios serão executados em blocos de concreto intertravados, conhecidos como pavers, enquanto as ciclovias serão de Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ), que é o mesmo material utilizado nas marginais.

Para garantir o escoamento da água das chuvas, estão previstos dispositivos de drenagem, como sarjetas, valetas, meios-fios, descidas d’água, bocas de lobo, tubulações e bueiros, que vão conduzir a água até local de deságue seguro.

(AEN)