Nos últimos dias, a Universidade Paranaense – Unipar, Unidade de Cascavel, realizou a cerimônia da Passagem da Lâmpada, tradicional no curso de Enfermagem. O evento reaviva a história da profissão e suas marcas, fazendo alusão à precursora da Enfermagem Moderna, Florence Nightingale.

À frente da cerimônia estiveram as professoras Débora Girardello, Aluana Moraes, Camila Ribeiro, Daisy Rodrigues e Vanessa Rosseto. As docentes repassaram aos formandos a luz da sabedoria e do amor à profissão; na sequência, o 5º ano repassou a chama de fogo aos colegas do 4 º ano.

No simbolismo milenar, a passagem da lâmpada de um acadêmico para outro demonstra a continuidade da assistência de enfermagem. Relembrar a história é manter valores tão importantes de uma profissão.

No palco, acadêmicos contextualizaram os caminhos da enfermagem e o início da enfermagem moderna: “A enfermagem tem origem milenária em que ser enfermeiro era uma referência a quem cuidava, protegia e nutria pessoas convalescentes, idosos e deficientes. Já no século 19, chamada de enfermagem moderna, foi definida como uma ciência e uma arte”.

Também lembraram a primeira escola oficial de enfermagem do Brasil, fundada por Carlos Chagas em 1923, recebendo em 1926 o nome de Anna Nery, em homenagem à primeira enfermeira brasileira.

O evento marca o encerramento de um ciclo e o início de uma nova fase. Em agradecimento foram convidados a pastora Márcia Poliszuk e o frei André Machado, que proferiram uma benção. Pais e familiares dos acadêmicos prestigiaram e foram homenageados.

A cerimônia contou, ainda, com o ofertório dos instrumentos de trabalho: a lâmpada e sua chama de fogo, aparelhos para a checagem dos sinais vitais do paciente, vestes profissionais e os livros que os acompanharão por toda a vida profissional.

“Atue com humanidade e com o aprendizado que lhe foi ofertado durante estes cinco anos. Lembre-se que enfermagem é amor, cuidado com o próximo e ciência. Não é apenas um paciente, é o amor da vida de alguém, é o filho querido de uma mãe, o pai de uma família”, enaltece o corpo docente.

 

Florence Nightingale

Ela é reconhecida por sua importância como enfermeira na Guerra da Criméia, onde oferecia aos soldados feridos não só os cuidados, mas também palavras de apoio para que tivessem o conforto necessário para sua recuperação. As visitas eram feitas durante a escuridão nas noites, onde ela levava sua lâmpada de azeite. Essa rotina concedeu à Florence o título de ‘dama da lâmpada’ e marcou a profissão, que passou a usar a lâmpada como seu símbolo.,