Foz do Iguaçu retomará, no início de agosto, os procedimentos cirúrgicos eletivos que estavam suspensos desde março do ano passado devido à pandemia da Covid-19.

A decisão foi formalizada pela Secretaria Municipal da Saúde na tarde de segunda-feira (12), em reunião com gestores da pasta e diretores do Hospital Municipal Padre Germano Lauck.

De acordo com o prefeito Chico Brasileiro, a suspensão das cirurgias eletivas foi necessária para direcionar medicamentos aos pacientes internados com Covid, mas agora, com a redução na ocupação de leitos e taxa de transmissão menor, é possível garantir uma retomada.

“Estamos com quase 60% da população adulta vacinada com a primeira dose. Observamos uma redução no número de casos e óbitos pela doença, assim como da ocupação de leitos de UTI do Hospital Municipal, que baixou para 80% depois de cinco meses. Por isso, acreditamos ser possível a retomada das cirurgias eletivas, sempre respeitando os protocolos sanitários”, comentou.

A Secretaria de Saúde deve realizar cerca de 300 cirurgias por mês – procedimentos de baixa e média complexidade serão feitos no Poliambulatório Nossa Senhora Aparecida, no Porto Meira e de alta complexidade no Hospital Municipal. Segundo a secretária de saúde Rosa Maria Jerônymo, a Diretoria de Assistência Especializada iniciou o contato com os pacientes cadastrados para agendar novas consultas e exames pré-operatórios.

“Estamos fazendo contato por telefone com os pacientes, até para identificar se todas as pessoas que estão na fila ainda aguardam pelo procedimento. Os usuários serão chamados para novas consultas e exames para então agendarmos a cirurgia”, explicou. Atualmente, cerca de 7 mil pessoas estão cadastradas para procedimentos cirúrgicos em Foz. As principais demandas envolvem ginecologia, otorrinolaringologia, cirurgia geral, urologia e ortopedia.

Rosa informou ainda que o Poliambulatório Nossa Senhora Aparecida passará por readequações para atender os pacientes no pós-operatório. “Com as cirurgias de média complexidade, o paciente passará a noite no local, por isso vamos reorganizar as equipes e adaptar os consultórios para se tornarem leitos de pós operatório” adiantou.

Desde novembro do ano passado, o Poliambulatório já realizou mais de 4 mil pequenos procedimentos de baixo risco, como biopsia/punção de tumor de pele, cirurgia de unha, curativo de grau dois, excisão de enxerto de pele, drenagem de abscesso, retirada de corpo estranho, vasectomia entre outros.

Atualização de dados

Para garantir a agilidade no atendimento, a Secretaria de Saúde reforça a importância de manter os dados atualizados junto às unidades de saúde. “Aquelas pessoas que por ventura mudaram o número de telefone ou o endereço devem procurar a unidade de saúde mais próxima de casa para atualizar os dados. Dessa forma, as equipes conseguem entrar em contato com mais facilidade e garantir o agendamento da cirurgia”, explicou o diretor da Assistência Especializada, Ademir Ferreira.