Cascavel – A partir desta segunda-feira (30), a Sanepar implanta sistema de rodízio no abastecimento de água de Cascavel. A estiagem prolongada diminuiu drasticamente a vazão dos mananciais superficiais (rios) e subterrâneos (poços), reduzindo a produção de água tratada da cidade. Para atender a todas as regiões, as equipes da Sanepar dividiram a cidade em sete setores que terão o abastecimento interrompido de forma alternada, com paralisação sempre no período da tarde.

“A Sanepar tomou todas as medidas emergenciais para garantir o abastecimento e, mesmo com a nova captação do São José, não está sendo possível manter a regularidade no abastecimento. O rodízio é medida necessária para que os imóveis de todas as regiões da cidade recebam água tratada por pelo menos algumas horas diárias”, explica a gerente-geral Rita Camana.

Ela lembra que a medida é temporária e que, se cada um der a sua contribuição e fizer a sua parte, com o uso racional da água, a Sanepar vai poder amenizar os impactos da falta de água na cidade.

A recomendação é de que a água seja utilizada prioritariamente na alimentação e na higiene pessoal. Limpezas pesadas, lavagens de veículos, calçadas, fachadas e a irrigação de hortas e jardins são atividades que devem ser adiadas até que a situação volte à normalidade.

O rodízio

A cidade foi dividida em sete setores, que terão o fornecimento de água interrompido a cada sete dias. O horário da interrupção do fornecimento de água será sempre das 13h às 19h, com previsão de normalização a partir das 22h de cada dia. Confira na tabela o cronograma e as regiões.

 

Caso não consiga visualizar, clique aqui. 


Simepar prevê 100mm de chuva até o dia 11 de dezembro

Cascavel – Após a “visita surpresa” da chuva registrada nessa sexta-feira (27) em algumas cidades da região oeste, os modelos do Simepar (Sistema Meteorológico do Paraná) trazem uma previsão animadora para os próximos dias.

A previsão para a região de Cascavel é de chuvas até o dia 11 de dezembro, ficando de fora apenas dos dias 6 e 8. Os volumes previstos para esses dias variam. Há dias em que pode chover mais de 25 milímetros e, em outros, pouco mais de 1mm. Contudo, no geral, o acumulado deve chegar a 100 milímetros, o que, embora ainda insuficiente, trará significativo alívio ao campo e à cidade.

Já na região de Foz do Iguaçu, a previsão é de registro de chuva do dia 1º ao dia 7 de dezembro. Também há volumes mais significativos em alguns e pouco mais de 1 milímetro em outros. No geral, o acumulado deve chegar aos 67,3 milímetros.

Na região de Toledo, também deve chover do dia 1º ao dia 11, com exceção dos dias 2, 5 e 6. A tendência dos volumes diários é semelhante aos de Cascavel e Foz, e o acumulado também deve ficar próximo dos 100mm.

A previsão traz esperança para o abastecimento, uma vez que pode auxiliar no aumento da vazão dos rios e alívio aos produtores rurais, que contam com a volta da umidade, e de forma regular, para garantir o bom desenvolvimento de floração das lavouras de soja e milho.

Nove cidades terão abastecimento de água de forma alternada

Na região sudoeste do Paraná, entram na programação do rodízio os sistemas de abastecimento de Capanema, Planalto, Salgado Filho, Pranchita, Dois Vizinhos e Nova Prata do Iguaçu. Os rios perderam de 70% a 90% no volume de água, como é o caso do Rio Siemens, que abastece Capanema e Planalto, o Rio Jirau Alto, que fornece água para Dois Vizinhos, e o Rio Tamanduá, em Salgado Filho, que praticamente secou.

No oeste, além de Cascavel, Medianeira e Três Barras do Paraná são as cidades que passam a ter o fornecimento de água de forma alternada. A vazão dos Rios Cascavel, Peroba, Saltinho e São José, em Cascavel, estão com redução de mais de 50% no volume de água.

O Rio Alegria, em Medianeira, voltou a perder vazão acima de 40%. E o Trigolândia, que abastece Três Barras do Paraná, teve queda acentuada, chegando a reduzir 90% no seu volume.