Uma disfunção que faz o coração bater mais acelerado ou mais lento do que o normal, ou ainda oscile em diferentes ritmos levando a sintomas de batedeira, cansaço, indisposição, tontura, desmaios e até a morte súbita. Essas são as características das arritmias cardíacas, disfunção que atinge mais de 20 milhões de brasileiros e leva a morte de mais de 320 mil por ano, mobilizando a Sobrac (Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas) a criar uma campanha de conscientização da população leiga em ações de cunho sócio educativa em todo o Brasil.

Batizada de “Coração na Batida Certa”, a campanha tem o seu marco em 12 de novembro, Dia Nacional de Prevenção das Arritmias Cardíacas e Morte Súbita, data que já faz parte do calendário do Ministério da Saúde.

Em sua 11ª edição em 2018, a campanha está mobilizando médicos em mais de 20 cidades em diferentes regiões do País, distribuindo folders, promovendo palestras, ensinando a aferir frequência cardíaca pela medição de pulso, medindo pressão arterial e ensinando manobras de ressuscitação cardiorrespiratória com massagens e uso do DEA (Desfibrilador Externo Automático).

“Apesar de promovermos ensinamentos em diversas ocasiões ao longo do ano, o dia 12 de novembro é um marco em que somamos esforços para atingir e impactar o maior número possível de pessoas em praças, parques, aeroportos, shoppings, hospitais, entre outros. Também promovemos ampla divulgação nas mídias sociais e na imprensa para levar a informação das ações e de melhoras práticas para combater as arritmias cardíacas e suas consequências”, relata a coordenadora da campanha, Luciana Armaganijan.

O que é arritmia cardíaca?

Arritmia cardíaca é a alteração que ocorre na geração ou na condução do estímulo elétrico do coração e pode provocar modificações do ritmo cardíaco.

As arritmias podem ser benignas e malignas. Indivíduos diagnosticados com taquicardia, bradicardia ou que já apresentam problemas cardíacos, como infarto e insuficiência cardíaca, estão no grupo de maior risco.

Como ocorre o batimento cardíaco?

O coração possui duas bombas, uma do lado direito e outra do lado esquerdo, que fazem parte de um sistema elétrico responsável pelo ritmo e sincronização dos batimentos do coração. A regulação desse sistema elétrico é formada por um conjunto de células que geram o estímulo elétrico espontaneamente, denominado nó sinusal.

Qual é o ritmo cardíaco adequado?

A frequência cardíaca é medida pelo número de pulsação do coração por uma unidade de tempo, geralmente em minutos, expressada por BPM (batimentos por minuto). A frequência cardíaca normal é de 50 bpm a 100 bpm. No entanto, quando os batimentos estão em 100 bpm em repouso, são considerados altos; abaixo de 50 por minuto, em situações de repouso, são considerados baixos.

Em algumas situações, como durante exercícios físicos de alta intensidade, estes batimentos podem ir além do normal e podem chegar a 150 bpm.

Quais são os tipos de arritmias cardíacas?

De forma geral, existem dois tipos de alteração do ritmo cardíaco: a taquicardia, quando o coração bate rápido demais, e bradicardia, quando as batidas são muito lentas e em descompasso, com pulsação irregular, sendo sua pior consequência a morte súbita cardíaca (MSC). Para estas duas situações é imprescindível o tratamento.

Qual a gravidade?

Quando não diagnosticada e tratada corretamente, a arritmia cardíaca pode provocar parada cardíaca e morte súbita.

O que é a morte súbita?

A morte súbita cardíaca ocorre de forma instantânea, inesperada, causada pela perda da função do músculo cardíaco. Geralmente, está associada a dois tipos de miocardiopatia: hipertrófica, quando há um aumento no tamanho do músculo cardíaco e que causa arritmia; e displasia arritmogênica do ventrículo direito, quando as células do músculo cardíaco são substituídas por células gordurosas, mas, neste caso, não há relação com a alimentação.

Quem está sujeito às arritmias cardíacas e à morte súbita?

De modo geral, qualquer pessoa pode ser diagnosticada com arritmia cardíaca, independentemente de faixa etária, sexo ou condição socioeconômica. As arritmias cardíacas podem acometer recém-nascidos, jovens saudáveis e atletas.

Quais os sintomas de uma arritmia cardíaca?

Os principais sintomas das arritmias cardíacas são cansaço, palpitações, desmaios, tontura, confusão mental, fraqueza, pressão baixa e dor no peito.

Como é o diagnóstico da arritmia cardíaca?

Quando uma pessoa percebe que seu coração está batendo de forma inadequada, deve procurar um cardiologista para avaliação prévia. O médico fará um exame clínico detalhado e, se necessário, solicitará exames complementares.

Qual tratamento de uma arritmia cardíaca?

Quem determinará o tratamento adequado é o médico especialista em arritmias. Os tratamentos mais comuns são: medicamentoso, por ablação por cateter ou ainda por implante de Dcei (Dispositivos Cardíacos Eletrônicos Implantáveis), como marca-passo, cadioversor desfibrilador implantável ou ressincronizador.

Como prevenir as arritmias cardíacas e a morte súbita?

Para prevenir as arritmias cardíacas, assim como demais doenças, é preciso ter hábitos saudáveis, manter uma alimentação adequada, não ingerir ou não se exceder no consumo de bebidas alcoólicas e energéticos e não fazer uso de tabaco. Também é importante dar atenção à saúde emocional e evitar o estresse.

Embora toda atividade física e/ou esportiva traga benefícios à saúde, antes de iniciá-la deve-se ter orientação de um especialista.

Uma pessoa que sofre parada cardíaca certamente vai morrer?

A parada cardíaca tem sucesso na recuperação quando são realizadas manobras de Ressuscitação Cardiopulmonar imediatamente. Acompanhado do uso do Desfibrilador Automático Externo (DEA), o índice de sucesso depende diretamente do tempo transcorrido entre o pedido de socorro e a desfibrilação. As chances diminuem cerca de 10% a cada minuto de atraso.

Para acessar o mapa das ações, infografias e demais peças de apoio, confira o site da Campanha Coração na Batida Certa em www.sobrac.org/campanha.

Ajude-nos a divulgar a nossa causa com a hashtag: #coraçãonabatidacerta

Sobre a SOBRAC

Criada oficialmente em 1984, a Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas (SOBRAC) é uma entidade médica sem fins lucrativos, afiliada à Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). Os objetivos da Sociedade são normatizar as atividades relacionadas às arritmias cardíacas no Brasil, promover o desenvolvimento científico e a valorização profissional da especialidade, além de orientar a população leiga a respeito dos problemas mais comuns ligados às arritmias cardíacas e morte súbita, por meio de campanhas educativas. Realiza periodicamente o Programa de Educação Continuada (PrECon) e anualmente o Congresso Brasileiro de Arritmias Cardíacas, maior evento do gênero da América Latina, e a Campanha Nacional de Prevenção das Arritmias Cardíacas e Morte Súbita, intitulada Coração Na Batida Certa, instituída no dia 12 de novembro.

Ação chega ao Paraná e Cascavel

O Paraná recebe neste dia 12 uma ação em comemoração ao Dia Nacional de Prevenção das Arritmias Cardíacas e Morte Súbita, celebrado nesta segunda-feira. Os eventos fazem parte Campanha Coração na Batida Certa, promovida há 11 anos pela Sobrac (Sociedade Brasileira de Arritmias Cardíacas).

Com o objetivo de trazer um alerta sobre as arritmias cardíacas, especialmente à população leiga, a campanha promove desde palestras a aferições de pressão e ensino da medição de pulso, que podem ajudar diretamente na prevenção de doenças como o AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Em Cascavel, Curitiba e Londrina estão sendo preparadas palestras com orientações sobre arritmias cardíacas, fibrilação atrial e treinamentos, com ajuda de boneco, de manobras de RCP (Ressuscitação Cardiopulmonar), além de aferição de pressão arterial e dosagem de colesterol.

Situadas em espaços públicos e de fácil acesso – Terminal Rodoviário Urbano Oeste, Praça Boca Maldita e Lago Igapó 2, respectivamente -, as ações serão das 8h às 18h, contando com a participação de médicos e estudantes de medicina.

As atividades são coordenadas por Alcirley de Almeida, José Carlos Moura Jorge, presidente da instituição, e Antônio Nechar, todos cardiologistas membros da Sobrac e especialistas em arritmias cardíacas.