Toxoplasmose: cegueira em bebês pode ser evitada com Teste Digital do Olhinho

Entre o público de maior risco de contrair a doença estão as pessoas com baixa imunidade, as gestantes e os recém-nascidos.

A toxoplasmose é uma infecção causada pela ingestão de água ou alimentos contaminados pelo protozoário Toxoplasma Gondii, que é encontrado nas fezes de gatos e outros felinos. Entre o público de maior risco de contrair a doença estão as pessoas com baixa imunidade, as gestantes e os recém-nascidos.

Com relação aos bebês, eles podem adquirir a doença por meio de uma infecção intraplacentária, caso a mãe tenha sido infectada pelo protozoário Toxoplasma Gondii durante a gestação ou em um curto espaço de tempo antes dela. Nessas situações, entre os diversos riscos à saúde da criança, pode acontecer de ela contrair toxoplasmose ocular, doença congênita bastante grave.

O cenário de risco aos pequenos é um motivo a mais para que responsáveis pela saúde e bem-estar das crianças deem a devida atenção à realização do Teste do Reflexo Vermelho (TRV) no momento do nascimento do bebê. O TRV é um exame ocular de triagem bastante importante. Porém, trata-se de uma triagem para um exame mais abrangente o Brasil conta com tecnologia para o Teste Digital do Olhinho, que além de rastrear 130 graus do globo ainda detecta doenças genéticas, incluindo as síndromes congênitas.

Teste Digital do Olhinho

Minimamente invasivo e indolor, o Teste Digital do Olhinho é realizado por meio do aparelho Retcam, que faz registros fotográficos digitais em alta resolução do olho do bebê. Antes do procedimento, a pupila da criança é dilatada por meio do uso de um gel anestésico. Só então uma sonda é encostada na retina da criança para que as fotografias sejam feitas. O exame é simples, rápido e preciso. Além disso, o aparelho permite que as imagens sejam armazenadas, gravadas, impressas ou enviadas eletronicamente a profissionais que acompanhem a saúde da criança.

Preocupado com a saúde ocular das crianças de Roraima e com os casos de toxoplasmose registrados em diferentes regiões do Brasil, o oftalmologista Hiran Gonçalves foi um dos grandes incentivadores da campanha Juntos Pela Visão Infantil, realizada em outubro no Estado. A ação, que tem caráter nacional, visa conscientizar toda a sociedade, incluindo profissionais de saúde, responsáveis por crianças e ONGs, sobre a importância de um diagnóstico ocular completo e precoce no recém-nascido.

“Existem algumas patologias que, se não forem diagnosticadas precocemente, podem causar lesões irreversíveis no olho de uma criança. Um exemplo é a retinopatia da prematuridade, bastante comum em pacientes que ficam em incubadoras. Há ainda as lesões graves causadas pela toxoplasmose, pela rubéola ou pelo glaucoma congênito. A detecção precoce dessas e de outras doenças oculares diminuem muito o sofrimento das crianças e aumentam as chances de controle, tratamento ou cura”, explica o oftalmologista Hiran Gonçalves. “Infelizmente, ainda vejo crianças, adolescentes e jovens que não têm o hábito de fazer exames oftalmológicos periódicos e, por isso, demoram muito a detectar doenças oculares. Por isso decidi liderar esse movimento de desenvolvimento da oftalmologia em Roraima, que, por meio da aquisição de aparelhos de Retcam para o Sistema Único de Saúde, vai possibilitar que a população tenha garantia de triagem e diagnóstico da saúde ocular de uma maneira mais ampliada”.




Fale com a Redação

1 × 2 =