AUTOMÓVEIS

Seu carro aumentou o consumo? O que fazer?

22 de junho de 2022 às 08:05
Publicidade

 

 

Devido a uma série de reajustes feitos pela Petrobras, impactando diretamente no preço médio da gasolina e do diesel, ficou cada vez mais difícil economizar. Logo, a solução adotada pela maioria dos consumidores é a utilização de práticas que contribuam para redução do consumo de gasolina.

Afinal de contas, existem algumas medidas que, quando seguidas de forma correta, podem de fato diminuir os gastos com o combustível. Todas estão diretamente relacionadas à forma certa de conduzir e cuidar do veículo.

Guerda Tiziane Adão, palestrante, consultora e CEO da Lion Queen’s Garage e do Brazilian Cult Hostel, em Curitiba elenca algumas dicas. Ela é atualmente uma das únicas mulheres a frente de uma funilaria e pintura no Paraná.

 

Fique atento com a direção

Uma das práticas que devem ser evitadas na hora de dirigir é a arrancada. Se você costuma pisar fundo toda vez que sai com o carro, repense esse hábito, pois ele pode pesar no bolso no final do mês. Acontece que, quando exageramos na pisada, o sistema entende que o veículo necessita de potência máxima e, consequentemente, consome mais combustível.

Sendo assim, o modo em que o motorista conduz o veículo é um fator que influencia diretamente no consumo. O motorista que conduz o veículo suavemente, com acelerações e frenagens progressivas, gasta menos combustível – e quem tem a tocada baseada em acelerações e frenagens vigorosas, gasta mais.

Também é importante ficar atento à velocidade. Quando muito próximo de outro carro, é preciso frear e, logo após, recuperar a velocidade. Nesse vai e vem frequente, o veículo exige um consumo maior, portanto, mantenha sempre uma distância adequada e velocidades constantes.

Outro fator importante é utilizar de maneira correta a caixa de marchas do automóvel. Dessa forma, evite fazer trocas de marcha com a rotação elevada demais. Além disso, não ande com o veículo desengatado, diferente do que muitos pensam, andar na “banguela” consome mais combustível do que se o veículo estiver engrenado na marcha adequada.

 

A importância dos pneus

Eles são o único ponto de contato do veículo com o solo. Os pneus, portanto, tem um papel crucial em qualquer questão de consumo de combustível – mais especificamente, devido à sua resistência ao rolamento. Pneus murchos, além de contribuir para o aumento no consumo de combustível, força o sistema de direção e suspensão do carro, bem como diminui a vida útil dos pneus.

O desalinhamento das rodas também provoca maior resistência ao rolamento dos pneus – e, por consequência, aumento no consumo de combustível. Por isso, o alinhamento deve ser feito a cada 10 mil quilômetros – ou sempre que você pegar algum buraco de forma mais brusca. Fique atento, também, a esses sintomas: pneu “cantando” em curvas de baixa velocidade, Se você sentir o carro puxando mais para um lado do que para outro, além de estar aumentando o consumo de combustível, também está diminuindo a vida útil dos pneus.

 

                   Janelas abertas

Mesmo sendo tentador nos dias mais quentes, o ar-condicionado na potência máxima também influencia no consumo de combustível. Se possível, aproveite as entradas de ar do carro para ventilar e evite utilizar o ar-condicionado nos trajetos longos. Você pode aliar a isso à procura por estacionamentos sombreados, o que diminui a necessidade da climatização forçada.

Embora deixar o ar-condicionado no máximo exija mais do veículo, abrir os vidros enquanto dirige nem sempre pode ser uma alternativa viável, principalmente se você estiver andando em alta velocidade. Exceto em passeios dentro da cidade, andar com as janelas abertas pode aumentar a resistência do ar e fazer o seu carro consumir mais combustível.

Sendo assim, o ideal, em viagens longas, em velocidade de estrada é manter o carro fechado, com o ar-condicionado em funcionamento moderado. E dentro da cidade em percursos curtos, manter os vidros abertos.

 

Qualidade do combustível

A adulteração de combustível é um grave problema no Brasil e que pode provocar graves danos no motor – ou, na hipótese menos grave, aumentar o consumo de combustível do veículo.

A escolha de um combustível de baixa qualidade influencia na capacidade de tráfego do veículo, por isso, você deve estar atento à condição dos postos frequentados. Para quem tem carro flex, a dica é encher o tanque com um só tipo, ou seja, somente gasolina ou etanol. Quando misturados, os líquidos precisam ser processados pelo sistema de injeção, o que demanda um certo tempo e, consequentemente, mais consumo de recursos para definir a relação ideal entre ar e consumo de combustível. Importante dizer que, nos casos dos veículos flex, para melhor avaliação da performance do veículo, devemos abastecer de tanque a tanque, ou seja, esperar esvaziar para repor com outro combustível.

 

Excesso de peso

Não é por acaso que todas as fabricantes de veículos trabalham intensamente para reduzir o peso dos seus carros. Em todos os grandes mercados mundiais, as empresas precisam atender à metas de redução de consumo de combustível que estão cada vez mais rígidas. “Quanto maior a massa a ser deslocada, maior o consumo de combustível”, afirma Guerda. Mas o motorista também precisa fazer a sua parte: não utilize o porta-malas do veículo como um guarda-volumes, transportando itens desnecessários.

 

Revisão e Manutenção

Por fim, e considerado por muitos como maior vilão de consumo de combustível, a baixa frequência de revisão e manutenção. No momento de levar o carro para revisão, os principais fatores no qual se deve ficar atentos são: filtros de ar; velas sujas e defeitos nas bobinas; filtro de óleo; catalizador; e óleo.

 

Crédito: Divulgação

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE