Cascavel – A vacinação contra a covid-19 a pessoas sem comorbidades caminhou mais rápido que a entrega das vacinas e a campanha parou em diversas cidades ontem no Paraná. Em Cascavel, ainda pela manhã os postos de saúde já estavam sem vacinas, e isso que nem houve vacinação no último fim de semana nem aberto o atendimento noturno. Cascavel vacinou, até ontem, 125.797 pessoas com a primeira dose, das quais 40.162 já tomaram as duas. Apenas alguns grupos prioritários têm doses reservadas.

Em Toledo, estão previstas 300 doses para quem tem mais de 48 anos sem comorbidades. Em Foz do Iguaçu, também está suspenso inclusive o agendamento devido à falta de previsão de novas doses.

Em Missal, as 156 doses também se esgotaram rapidamente e ontem a vacinação parou.

A Secretaria de Saúde do Paraná informou que ainda não tem data para a nova remessa de vacinas contra a covid-19. Por enquanto, a previsão extraoficial é de que só cheguem novas doses perto do fim de semana.

A última remessa enviada aos municípios é restrita para a segunda dose.

Por enquanto, a expectativa é receber “nos próximos dias” mais 439.340 vacinas, que fazem parte da 27ª pauta de distribuição do governo federal. São 91.250 vacinas da Janssen, 136.890 da Pfizer/BioNtech e 211.200 da parceria Butantan/Coronavac – apenas essa última tem parte do quantitativo destinado para D2. Ainda não há previsão de data para a entrega.

Essa será a primeira remessa de Janssen destinada ao Paraná. De acordo com o Ministério da Saúde, este primeiro lote pode ser usado até agosto. A vacina pode ser armazenada por pelo menos 3 meses, em temperaturas de 2ºC a 8ºC, equivalente a geladeiras normais. Elas são parte do lote de 1,5 milhão entregue nessa terça-feira (22) ao Brasil.

As doses da Janssen, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, devem ser destinadas a trabalhadores do transporte coletivo rodoviário de passageiros, do transporte ferroviário, do transporte aquaviários e de caminhoneiros. Além disso, podem ser destinadas a outros grupos. A Sesa ainda estuda as possibilidades.

A pauta da Butantan/Coronavac também tem parte destinada a trabalhadores do transporte coletivo (11.732), além da continuidade da vacinação em trabalhadores da educação, ensino superior e forças de segurança e salvamento com D1 e D2.

As vacinas da Pfizer devem ser destinadas a grupos prioritários já atendidos, como pessoas comorbidades, e público em geral, seguindo o calendário de vacinação anunciado pelo governo do Estado.