Em Cascavel, levantamento feito pela Coplaa (Comissão Permanente de Licenciamento de Autônomos e Ambulantes) apontou a existência de uma demanda reprimida de 600 ambulantes com solicitação de alvará desde 2014. Diante dessa situação, o prefeito Leonaldo Paranhos determinou ao presidente da Comissão, José Luiz Ferreira, que agilizasse a regularização da situação desses trabalhadores.

Por conta disso, a Coplaa fez um chamamento público, cuja Resolução 001/2019 foi publicada ontem (16), convocando todos os ambulantes que têm protocolo, aqueles que pediram alvará pela primeira vez e os que já possuem o documento para que façam a atualização cadastral para análise de processo de licença de funcionamento na Secretaria de Finanças.

“A gente tem que analisar os processos em ordem cronológica. Eu não posso analisar um processo de 2018, sendo que tenho um de 2016 esperando análise, e estão sendo feitos novos protocolos que precisam ser analisados. Para resolver esse problema, decidimos fazer um chamamento público para que todos os requerentes de comércio ambulante se apresentem na Secretaria de Finanças para atualizar seus cadastros. Assim, todos poderão trabalhar tranquilos", explicou Ferreira.

Desistiram

O presidente da Copla disse que "provavelmente metade desses ambulantes já não estão mais trabalhando na informalidade”. Por isso, ele acredita que irão apenas os ambulantes que ainda querem o alvará. “E, para esses que se apresentarem, a gente vai analisar o processo para conceder a licença. Assim, resolvemos a demanda reprimida. Todos, obrigatoriamente, precisam se apresentar e os que não o fizerem entenderemos que não querem mais o alvará”, completou.