A maior roubada para um político é não respeitar a liberdade de imprensa, e, demagogicamente, como nestes tempos modernos, buscar refúgio nas redes sociais para criticá-la. Nesses últimos anos, infelizmente, assim agiu e ruiu o lulopetismo e agora, no mesmo caminho, o novo presidente Jair Bolsonaro e seus filhos, que, em vez de analisar friamente os fatos, preferem criticar a grande imprensa.

Isso sem contar que a confusão por falta de sintonia nesses primeiros dias de governo não foi inventada pela imprensa. Está tudo documentado e os mais sensatos deste governo confirmam os desacertos!

Torço para que haja harmonia entre seus integrantes porque este País não tem mais tempo a perder.

O presidente demonstra ser um cidadão simples, ético, mas ainda desconfortável e meio perdido no poder.

Reconheço que é uma tarefa complexa e difícil, principalmente para quem, como Bolsonaro, jamais ocupou um cargo no Executivo.

Mas é latente o prejuízo da nossa sociedade pela irresponsabilidade cercada de demagogia e resultado da falta de ética, que, infelizmente, levou à quebra da nossa economia pelas horrendas gestões de Lula e Dilma. E que, mesmo com os acertos na área econômica do ex-presidente Temer, o caldo da herança maldita petista ainda inferniza as contas públicas.

E o Jair Bolsonaro, eleito com mais de 58 milhões de votos, deve lutar para preservar esse crédito eleitoral. Ele tem boas condições para tal, já que, com exceção de dois ou três nomes, formou um bom ministério. E, agindo com a prudência que o cargo exige – e não governando de improviso -, pode conquistar apoio do Congresso e enfrentar os desafios, que são muitos, para reconstruir o desenvolvimento econômico e social desta Nação.

Mas, para isso, precisa harmonizar as ações da sua equipe, não perder tempo nem rumo com as infindáveis explicações de seus integrantes.

Passadas essas duas semanas de gestão, está mais do que na hora de apresentar as propostas concretas para o País. Apoio popular existe! O mercado e os investidores estão apostando e querem investir!

Está exclusivamente nas mãos do presidente a sensatez de extrair das críticas o que é melhor para o Brasil. Já que a nossa imprensa também é parte interessada de ver esse Brasil finalmente prosperando…

Paulo Panossian – [email protected]