No Paraná, uma de cada 3 mortes ocorre em casa

Desde a primeira morte por covid-19 no Brasil, de cada três pessoas que morreram no Paraná por doenças e causas naturais, uma faleceu na casa em que morava.

No Paraná

Quando usar máscara de pano

Cresce número de óbitos em casa durante pandemia

 

Cascavel – Um total de 29,2% dos registros de óbitos feitos pelos Cartórios de Registro Civil do Paraná, desde a primeira morte por covid-19 (dia 16 de março), teve como local de morte a casa em que o falecido morava. Os dados fazem parte do novo módulo do Portal da Transparência do Registro Civil, que disponibiliza as informações com base no local de falecimento atestado pelos médicos.

O portal mostra que, em comparação com o mesmo período de 2019 (16 de março a 30 de abril) houve aumento de 18,5% no número de mortes em domicílio em todo o Estado.

Foi registrado também aumento de 17,9% das mortes em domicílios por pneumonia, insuficiência respiratória, septicemia, causas indeterminadas e causas naturais: somados, em 2019, foram 1.767 óbitos em casa; em 2020, passou para 2.085.

O percentual de óbitos em domicílio também aumentou em Cascavel. No ano passado, 14% dos falecimentos por causas naturais ocorreram na casa das pessoas; em 2020, passou para 20,4%.

Divergência de dados

Com atualização diária, o portal apresenta números bem divergentes dos boletins estadual e municipal. Conforme os dados do registro, a cidade tem 12 dos 202 registros de óbitos por covid-19 no Paraná. Contudo, conforme os números oficiais, Cascavel tem cinco óbitos e o Paraná, 113.

“O Portal da Transparência é muito importante para a divulgação dos dados relacionados à covid-19, principalmente para que as autoridades públicas possam ter noção do que fazer e dos procedimentos que podem ser adotados para minimizar a pandemia”, destaca a presidente do Irpen/PR (Instituto do Registro Civil das Pessoas Naturais do Estado do Paraná), Elizabete Regina Vedovatto. “O portal está sendo essencial tanto para a população ficar esclarecida, quanto para as autoridades e os jornalistas terem acesso à informação. Os novos dados que serão disponibilizados só vão somar para todos terem maior conhecimento e controle dos registros dessas mortes”.

Entre os estados, comparando-se o total de mortes em domicílio no mesmo período dos anos de 2019 e 2020, o Amazonas é aquele que registrou o maior aumento: 149%. Na sequência, está o Rio de Janeiro, com um aumento de 40,6%, seguido pelo Distrito Federal com 31,1%, Paraná, com 21,8% e Pernambuco, com 20,3%. Já o estado de São Paulo registrou, em 2020, um aumento de 14,5% no número de mortes em domicílio em relação ao mesmo período de 2019.

 

Prazos do Registro

Mesmo a plataforma sendo um retrato fidedigno de todos os óbitos registrados pelos Cartórios de Registro Civil do País, os prazos legais para a realização do registro e para seu posterior envio à Central de Informações do Registro Civil (CRC Nacional), regulamentada pelo Provimento 46 do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), podem fazer com que os números sejam ainda maiores.

 

Sobre o Irpen

O Instituto do Registro Civil das Pessoas Naturais do Estado do Paraná congrega os 515 cartórios de Registro Civil do Estado do Paraná distribuídos por todos os municípios e distritos paranaenses, responsáveis pelos principais atos da vida civil dos cidadãos, entre eles os registros de nascimentos, casamentos e óbitos. Saiba mais em www.irpen.org.br.

 

 

Mosquito da dengue nas áreas externas


Fale com a Redação

seis + 12 =