Jogos Mundiais: Surfe brasileiro em alta no evento teste no Japão

A sul-africana Bianca Buitendag ficou com o bronze

Rio de Janeiro – No palco do surfe nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, a cearense Silvana Lima obteve um grande resultado para o Brasil nos Jogos Mundiais da ISA (Associação Internacional de Surfe): vice-campeonato, atrás somente da peruana Sofia Mulanovich, veterana (36 anos) e primeira sul-americana campeã da liga mundial, em 2004. A sul-africana Bianca Buitendag ficou com o bronze. Já a estadunidense Carissa Moore, tricampeã mundial e uma das favoritas, acabou em quarto. A também brasileira Tatiana Weston-Webb ficou na sexta posição.

Com o resultado das mulheres, o Brasil saltou para a liderança dos Jogos Mundiais, com o Peru em segundo e os Estados Unidos em terceiro. A competição masculina começou na madrugada ontem (10), e Filipe Toledo e Ítalo Ferreira estrearam com vitória. Já Gabriel Medina competiu na 34ª bateria da primeira fase, disputada ontem à noite (manhã de quarta no Japão).

O potiguar Ítalo Ferreira, aliás, foi sucesso no Japão. Depois de ter o passaporte furtado nos EUA, ele chegou à praia de Myasaki direto do aeroporto, faltando 9 minutos para o fim de sua bateria e teve que entrar no mar de bermuda jeans e com a prancha emprestada de Filipe Toledo. Na garra, ele conseguiu arrancar a vitória de virada sobre três adversários para se manter na disputa no Japão.

O evento no Japão é obrigatório para os surfistas que desejam disputar Tóquio 2020. O Brasil está representado por seis atletas, sendo três no feminino e outros três no masculino.



Fale com a Redação

3 × quatro =