Entidades contra o pedágio

Representantes das entidades do setor produtivo do oeste do Paraná se reuniram na tarde de ontem (26) na Acic, em Cascavel, para debater novas estratégias em protesto ao novo modelo de pedágio. A reunião fechada foi comandada pelo presidente do POD (Programa Oeste em Desenvolvimento), Rainer Zielasko, e o presidente do Codesc (Conselho de Desenvolvimento de Cascavel), Alci Rotta Junior. Na pauta, além dos pontos não esclarecidos sobre o novo modelo de concessão, está a instalação das praças de pedágio entre Cascavel e Toledo e entre Marechal Cândido Rondon e Mercedes.

 

Abaixo-assinado

O movimento da sociedade civil organizada Oeste Contra o Pedágio, que teve início nas redes sociais e ganhou as ruas de Cascavel, Toledo e Marechal Rondon, elaborou um abaixo-assinado para que líderes políticos e empresariais e de cidadãos da região possam manifestar sua contrariedade à construção das praças de pedágio entre Toledo e Cascavel, na BR-467, e entre Marechal e Mercedes, na BR-163. Em poucas horas, o abaixo-assinado reuniu mais de 1,2 mil assinaturas.

 

Petição pública

Em outra frente, o movimento elaborou uma petição pública direcionada ao procurador-geral da República, Augusto Aras, para que o MPF impeça a abertura das 15 novas praças de pedágios no Paraná sem consulta à população. O documento on-line pode ser encontrado no site www.peticaopublica.com.br e pode ser assinado por lá mesmo.

 

Reforma Administrativa

A Câmara de Cascavel discute hoje (27) os impactos que a Reforma Administrativa pode ter na carreira do serviço público, nas esferas municipais, estaduais e federais, bem como na vida da população em geral, diretamente atingida pela reforma. Proposto pelos vereadores Professora Liliam (PT) e Edson Souza (MDB), o encontro também conta com apoio de entidades como Sindijus, Siprovel, APP-Sindicato e Sinteoeste.

 

Foz e Londrina

Os prefeitos Chico Brasileiro e Marcelo Belinati assinaram acordo de cooperação técnica que torna Foz do Iguaçu e Londrina cidades-irmãs no Paraná. O convênio prevê a troca de experiências e expertises nas áreas de tecnologia, inovação, governança, desenvolvimento econômico, educação, assistência social, saúde, cultura, turismo, transporte e mobilidade urbana, entre outras.

 

Código Eleitoral I

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), disse ontem que a proposta que consolida toda a legislação eleitoral deve ir a votação em Plenário na próxima quinta (2 de setembro). Ele disse que alguns partidos pediram mais tempo para discutir alguns pontos do texto com a relatora, deputada Margarete Coelho (PP-PI).

 

Código Eleitoral II

Segundo Lira, a ideia é encerrar a votação do texto antes do feriado de 7 de Setembro para que o Senado tenha condições para discutir a matéria a tempo de as mudanças valerem para as eleições do ano que vem. Segundo a Constituição, a legislação que altera o processo eleitoral precisa ser votada até um ano antes da eleição seguinte.

 

Urna auditável

O TSE divulgou as regras para o teste de segurança das urnas eletrônicas. Criado em 2009, o teste público de segurança das urnas disponibiliza o hardware e o software da urna eletrônica para serem escrutinados por especialistas, instituições e órgãos públicos. Neste ano, haverá a ampliação dos programas disponibilizados para investigação, que agora incluem sistemas de apoio à auditoria de funcionamento das urnas e outros softwares verificadores, além dos códigos da própria urna. A previsão é de que resultados dos testes sejam publicados em novembro.