Informe da redação do dia 1º de outubro de 2019

Eleições na Unioeste

A campanha na Unioeste ganha impulso a partir desta semana. A partir desta terça já tem debate no câmpus de Toledo entre os três candidatos a reitor, e na quinta será em Francisco Beltrão, ambos às 19h30. Na segunda-feira o debate acontece no HU, às 14h, e, no dia seguinte no câmpus de Cascavel, às 19h30, na sexta (11) será no câmpus de Foz e no dia 15 (terça) no câmpus de Marechal Rondon, também às 19h30. O Jornal O Paraná entrevistou os três candidatos (Wilson Zonin, Alexandre Webber e Edison Leismann) nessa segunda-feira.

Transparência

Com orçamento de meio bilhão de reais e uma comunidade acadêmica que totaliza 16.500 pessoas, a briga pelo comando da Unioeste é grande. De maneira geral, os três candidatos prometem mais transparência e abertura da universidade à sociedade e ninguém conta com plano B caso o governo deixe de repassar 100% dos recursos. A votação será dia 22 de outubro.

Estratégia?

A turma da teoria da conspiração garante que foi estratégia do ex-procurador Rodrigo Janot falar sobre a sua tentativa frustrada de assassinar o ministro Gilmar Mendes. Ele jogou a isca e Gilmar mordeu. Esse teria sido o jeito de Janot entregar seu computador e celular para a Polícia Federal, que agora teria como tomar conhecimento de “coisas sinistras” de muita gente graúda.

CPI da JMK

Nesta terça-feira (1º), a partir das 9h, a CPI da JMK da Assembleia Legislativa do Paraná interroga três pessoas que figuraram no papel como sócios da empresa durante a vigência do contrato para gestão da frota do governo do Paraná, de janeiro de 2015 a maio de 2019. Dois deles foram apontados pela Divisão de Combate à Corrupção da Polícia Civil como “laranjas” da sociedade.

Mais uma…

Por falar em CPI, a Câmara de Cascavel discute criar uma comissão para investigar as mortes nas UPAs. Somente em 2017 e 2018 quase 500 pessoas morreram esperando leito hospitalar. Neste ano já são 118.

Multa a Dirceu

A 8ª Turma do TRF4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) negou recurso da defesa do ex-ministro José Dirceu e agora ele deve começar a pagar cerca de R$ 4,5 milhões referentes a custas processuais, multa penal e reparação de danos. Dirceu é réu na Lava Jato e teve a condenação pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro confirmada pela corte em 21 de fevereiro deste ano.

Lula (meio) livre?

Todos se encaminham para que o ex-presidente Lula progrida de regime e comece a cumprir sua pena em semiliberdade. Agora, até a Justiça já pediu para a Polícia Federal uma carta sobre o comportamento do petista para deferir a progressão. Só Lula que não gostou da ideia. Em uma carta escrita à mão, disse que não quer “barganha” para sair da prisão e que só sai quando estiver “livre” e, de preferência, absolvido dos crimes pelos quais foi condenado.

E agora?

A situação pegou até os juristas desprevenidos e ninguém sabe dizer ao certo se o preso pode ou não pode se recusar à progressão de pena.



Fale com a Redação

4 × dois =