Informe da redação do dia 04 de julho de 2019

Kabelo ingressa no PSD

O prefeito de Santa Tereza do Oeste, Elio Marciniak, o Kabelo, aceitou convite para se filiar ao PSD (Partido Socialista Democrático), do governador Ratinho Junior. A formalização da filiação e o aperto de mãos com a maior liderança estadual do partido, o próprio governador, foram realizados em encontro em Curitiba. Ratinho não poupou elogios: “São gestores como o prefeito Kabelo que o nosso País precisa”, disse. O secretário-chefe da Casa Civil do Paraná, Guto Silva, participou do encontro e revelou “que tem um carinho especial por Santa Tereza do Oeste” e ratificou que o partido se fortalecerá e terá muito mais representatividade no oeste do Paraná com a chegada do prefeito Kabelo.

Da própria carne

O projeto de lei que limita e congela a remuneração mensal do governador em R$ 33.763 até dezembro de 2022 recebeu parecer favorável da CCJ da Assembleia Legislativa. A proposta é assinada pelos nove deputados da Mesa Diretora do Legislativo, presidido pelo deputado Ademar Traiano (PSDB), que tem como primeiro-secretário o deputado Romanelli (PSB) e segundo-secretário o deputado Gilson de Souza (PSC).

Queda de braço

Por falar em Ratinho… O governador enfrenta sua primeira crise à frente do Estado. E, pelo andar da carruagem, não vai ser muito fácil saná-la.

Tudo pronto

Depois de ter feito as malinhas à espera do regime semiaberto, o ex-presidente Lula pode ter outra notícia desagradável enquanto continua dormindo na salinha especial da PF em Curitiba. É que o juiz Luiz Antonio Bonat, da 13ª Vara Federal de Curitiba, está pronto para proferir sentença na ação em que o petista é acusado de receber R$ 12,5 milhões de propina da empreiteira Odebrecht na forma de um imóvel para sediar seu instituto e um apartamento vizinho à sua residência em São Bernardo do Campo. A informação é do Antagonista.

Negado

Na terça-feira, Bonat negou pedido da defesa para ter acesso a todo o acordo de leniência da Odebrecht e rejeitou um questionamento sobre a condição de vítima da Petrobras no processo. O advogado Cristiano Zanin ainda tenta suspender a ação penal no STF sob o pretexto de analisar a papelada do acordo da construtora. O ministro Edson Fachin negou o pedido, mas ampliou o número de documentos da Odebrecht a serem disponibilizados.

CPI da JMK I

Na reunião ontem (3) da CPI da JMK da Assembleia Legislativa, o delegado Benedito Gonçalves Neto, ex-titular da Divisão de Infraestrutura da Polícia Civil, apontou falhas na fiscalização da empresa responsável pela gestão da manutenção da frota de 18 mil veículos do governo do Paraná de janeiro de 2015 a maio deste ano. Para ele, o modelo é bom, mas precisa ser aperfeiçoado para se tornar eficiente.

CPI da JMK II

Benedito disse que os problemas da Polícia Civil com as oficinas credenciadas pela JMK se iniciaram no fim de 2015, quando os donos de oficinas ameaçaram não prestar mais os serviços por conta de atrasos nos repasses da empresa: “Levamos essas reclamações ao Deto, que é o órgão fiscal, conforme o artigo nono do contrato. A situação começou a ficar insustentável”, contou.

CPI da JMK III

Na sequência, revelou o delegado, a frota começou a parar, afetando a locomoção de presos e as investigações. Conforme Benedito, a situação foi tratada numa reunião na Casa Civil, com a participação de representantes da JMK, das Polícias Militar e Civil e do Deto: “As oficinas começaram a receber, mas não na totalidade. No final de 2017 para 2018, parou mesmo. As oficinas não queriam mais fazer os serviços (…) a situação ficou horrível até o final de maio de 2019, quando fizemos aporte de R$ 3,6 milhões para a manutenção de 644 veículos por mês”.



Fale com a Redação

9 − 3 =