Crise hídrica

O prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos, a gerente regional da Sanepar, Rita Camana, o gerente do Departamento de Serviços Operacionais Oeste da Copel, Paulo Roberto Nachtygal, e o gerente da Agência de Cascavel da Copel, Hélio José Dalgallo, lançam hoje ações de enfrentamento à crise hídrica. A campanha incentivará a economia de energia e água e concederá desconto no IPTU para as pessoas que aderirem. Durante o evento, será anunciada a campanha de economia nos prédios públicos do Município e a liberação de equipamentos para novos poços artesianos e compra de caminhão pipa, entre outras medidas. O ato será às 15h30, na prefeitura.

 

Contra o pedágio

O senador Alvaro Dias (Podemos) se posicionou contra a instalação de novas praças de pedágio no Paraná. Ele disse que apoia o governador Ratinho Junior e as entidades do setor produtivo e discorda da tentativa do governo federal de implantar novas praças no Estado, inclusive em áreas de percurso curto, como entre Cascavel e Toledo. O senador encaminhou ofício ao ministro da Infraestrutura, Tarcisio Gomes de Freitas, manifestando-se contra as praças. Mais um pedido na pilha de Tarcísio.

 

No Senado

Governadores de vários estados se reuniram ontem (2) com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. Na pauta, reforçaram a importância da defesa da democracia, a retomada do diálogo entre os Poderes e a necessidade de distensionar o clima de instabilidade institucional. Governadores também pediram ajuda do Congresso para tentar frear o aumento de preços de itens básicos. “Nosso inimigo é o preço do feijão, da gasolina, da luz elétrica. Temos que discutir isso no Brasil e não perdermos tempo com aquilo que não convém”, disse Pacheco. Ratinho Junior (PSD) não esteve presente.

 

Segurança Nacional

O presidente Jair Bolsonaro sancionou, com vetos, a Lei 14.197/21, que revoga a Lei de Segurança Nacional e define crimes contra o Estado Democrático de Direito. O texto acrescenta no Código Penal um novo título tipificando crimes contra o Estado democrático, incluindo: crimes contra a soberania, crimes contra as instituições democráticas e contra o funcionamento das instituições no processo eleitoral. A lei deixa claro que não constitui crime a manifestação crítica aos Poderes nem a atividade jornalística ou qualquer outra forma de manifestação política com propósitos sociais.

 

Fake news

Um dos artigos vetados por Bolsonaro definia ser crime de comunicação enganosa em massa promover ou financiar campanha ou iniciativa para disseminar fake news e que sejam capazes de comprometer a higidez do processo eleitoral. A pena estipulada era de reclusão de um a cinco anos e multa. Os vetos serão analisados pelo Congresso.

 

Barrada

O TCE-PR expediu medida cautelar que suspende licitações do Município de São Miguel do Iguaçu para a compra de escavadeira e motoniveladora devido a indícios de irregularidade em relação à exigência de que os motores sejam da mesma marca dos equipamentos adquiridos.

 

Aliados de Bibinho

Uma força-tarefa da polícia e do Ministério Público cumpriu ontem 16 mandados de busca e apreensão no Paraná, em São Paulo e Goiás, em residências, fazendas e empresas ligadas ao ex-diretor-geral da Assembleia Legislativa do Paraná Abib Miguel, o Bibinho, condenado a mais de 250 anos de prisão por lavagem de dinheiro. A ação ocorre uma semana após Bibinho voltar para a cadeia, após decisão da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça.

 

Falsificação

Segundo apurou o MPPR, o grupo estaria atuando, a partir de diferentes formas de falsificação ou simulação, para ocultar dinheiro obtido pela exploração agrícola de propriedades rurais pertencentes ao ex-diretor-geral que foram sequestradas judicialmente – inclusive com determinação de “perdimento” pela Justiça do Paraná.