Bomba, bomba!

A exoneração do diretor legislativo da Câmara de Cascavel, Mário Galavoti, caiu como uma bomba e pegou todos de surpresa. A presidência da Câmara não se manifestou sobre o assunto, o que rendeu toda sorte de especulação pelos corredores. Uma delas, é que o presidente Alécio Espínola viajou para Curitiba e deixou a exoneração assinada e coube ao RH avisar Galavoti. Na bolsa de apostas, o motivo seria por Galavoti ter colocado em pauta a moção de repúdio ao governo do Paraná um dia depois de o governador Ratinho Junior ter estado em Cascavel. Após muita discussão, a moção foi aprovada por 12 votos a sete, na sessão de terça. Ela trata da falta de reajuste salarial ao funcionalismo estadual.

 

Bomba II

No cargo há mais de 28 anos, Galavoti é tido por muitos uma “bomba-relógio”, com muita informação incendiária. Nada feliz, ele assinou a exoneração pela manhã, mas à tarde continuava trabalhando na Câmara, onde, por sinal, ninguém sabia de nada nem falava nada (abertamente). Ainda se especulava que Alécio poderia mudar de ideia.

 

25 mil ações

A Vigilância Sanitária do Paraná executou quase 25 mil ações relacionadas à pandemia desde a confirmação dos primeiros casos do novo coronavírus no Estado. Foram mais de 20 mil ações de inspeção relacionadas à doença e cerca de 1,6 mil educativas com a população, como palestras, orientações, entrega de material e informações a respeito das medidas de prevenção e controle.

 

Retirado

O deputado paranaense Reinhold Stephanes Junior (PSD) foi retirado da sala da CPI da Covid após ordem do vice-presidente do colegiado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que presidia a reunião. Stephanes foi acusado de tumultuar a sessão e intimidar os senadores após ser flagrado filmando a reunião e criticando a CPI.

 

Cascavel na CPI

Por falar em CPI… Airton Antônio Soligo, mais conhecido como Airton Cascavel, será ouvido nesta quinta pela CPI da Covid. A sessão está marcada para começar às 9h. Airton era o braço-direito do general Eduardo Pazuello quando foi ministro da Saúde.

 

Dependência

O panorama da dependência química entre os jovens entrou em debate na Câmara Municipal de Foz do Iguaçu. O Requerimento 357/2021, aprovado na sessão ordinária de terça-feira (3), solicita informações ao Poder Executivo sobre o atual número de usuários de entorpecentes e se houve aumento durante a pandemia do novo coronavírus. A propositura questiona “quais são as unidades de acolhimento e tratamento em funcionamento” disponíveis em Foz.

 

Desinvestimento

A Copel concluiu na terça (3) a venda da sua subsidiária de telecomunicações ao grupo Bordeaux Participações, após receber R$ 2,5 bilhões pela operação. O leilão de desinvestimento aconteceu em 9 de novembro de 2020, na B3, quando a Bordeaux arrematou a subsidiária da Copel com ágio 70,94%. A Copel Telecom tem 178 mil clientes, que passarão a ser atendidos pelo grupo Bordeaux Participações.

 

Posse de Nogueira

O senador Ciro Nogueira (PP-PI) tomou posse ontem como novo ministro da Casa Civil do governo federal. Em uma cerimônia no Palácio do Planalto, o presidente Jair Bolsonaro elogiou seu novo ministro: “Que satisfação, que honra, que momento de alegria a todos nós. Temos esse recinto apinhado de pessoas que, juntamente com o presidente, ajudam a conduzir o Brasil para um porto seguro (…) A chegada do Ciro Nogueira é uma demonstração, por parte do governo, que queremos cada vez mais aprofundar o relacionamento com o Parlamento. E não é a primeira vez que digo que Legislativo e Executivo, na verdade, é um só poder”.