Curitiba – Mais de 1,6 mil servidores do QPPE (Quadro Próprio do Poder Executivo) do Estado do Paraná foram beneficiados com o pagamento das promoções e das progressões que estavam pendentes dos exercícios de 2019 e 2020. A implantação dos benefícios representará, até o fim de 2021, um custo de aproximadamente R$ 4,2 milhões. A autorização foi assinada nessa terça-feira (24) pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, durante solenidade no Palácio Iguaçu.

“É um dia de muita comemoração. As promoções e as progressões são um direito desses 1.626 servidores que agora conseguimos colocar em prática. Fruto do planejamento do Estado e de um esforço conjunto, que contou com a colaboração incansável do nosso funcionalismo. Eles entenderam o momento delicado da economia em razão da pandemia e souberam esperar”, afirmou o governador.

Ratinho Junior lembrou que os recursos que permitiram agora o pagamento dos benefícios são resultados do enxugamento da máquina pública iniciado ainda em 2019, logo no começo da gestão, com a redução do número de secretarias (de 28 para 15) e o fim do pagamento da aposentadoria para ex-governadores, entre outras ações de economicidade.

“Com isso, o dinheiro foi revertido para o que realmente é importante. Esses R$ 4,2 milhões que estamos aplicando agora nos servidores é exatamente o que era pago no aluguel do jatinho que atendia o governador, e que nós devolvemos de imediato, ainda em 2019”, destacou.

O governador comentou que a autorização formalizada dá continuidade ao pagamento de promoções e progressões a 9.860 profissionais da Secretaria de Estado da Segurança Pública implementado na semana passada. O avanço na carreira, com a destinação de R$ 19,2 milhões, contemplou 6.882 policiais e bombeiros militares (oficiais e praças), 1.546 profissionais da Polícia Civil, 181 da Polícia Científica e 1.251 agentes penitenciários.

Também neste ano, em maio, Ratinho Junior já tinha autorizado a promoção de 115 oficiais e de 554 praças, ao custo de R$ 6,5 milhões, além da regulamentação da diária extrajornada para as Polícias Civil, Militar e Científica. “Às vezes não é no tempo que a gente quer, gostaríamos que fosse automático, mas a máquina pública é um grande desafio. Estamos avançando na redução de custos e na modernização do Estado, o que nos permite melhorar as condições dos servidores”, disse.

 

O que são

A progressão na carreira é a mudança de referência para outra imediatamente superior, dentro da mesma classe. Ela pode ocorrer por antiguidade, a cada cinco anos de efetivo exercício no cargo, sendo equivalente a uma referência salarial; ou por merecimento, após o cumprimento do estágio probatório, mediante a apresentação de cursos e respeitando o intervalo de quatro anos entre as concessões.

A promoção é a mudança de classe para outra imediatamente superior. Ela ocorre, alternadamente, pelos critérios de antiguidade e merecimento, sendo que na primeira promoção o servidor deverá optar pelo critério que entender mais conveniente.