POLÍTICA

Governo Paranhos perde dois secretários em um dia

09 de março de 2018 às 10:56
Publicidade

 

O prefeito Leonaldo Paranhos sofreu ontem duas importantes baixas em sua equipe de governo com a saída de Jorge Lange, que decidiu deixar a Secretaria de Obras Públicas um mês antes do previsto. Ele será candidato a deputado estadual nas eleições deste ano. No meio da tarde, foi a vez de Fernando Dillenburg, diretor do Instituto de Planejamento de Cascavel (IPC) pedir exoneração. Paranhos aceitou os pedidos.

Os dois auxiliares saem após desgastes em função das obras do Parque Linear do Morumbi, que integram o PDI (Plano de Desenvolvimento Integrado) e que acabou parando na Justiça após a troca de materiais para construir um bueiro, desrespeitando o contrato. A autorização para substituir a tubulação de aço por concreto será investigada em um processo administrativo. A Prefeitura sempre disse que Contersolo Construtora de Obras, empresa responsável pelas obras do Morumbi Eco Park, iniciou o trabalho sem autorização porque o aditivo não estava assinado.

Ao Hoje News, Lange – que também é vice-prefeito – negou que sua saída esteja relacionada a polêmica do Eco Park, mas no fim da tarde de ontem em entrevista à Catve, Dillenburg disse que junto com Lange contratou um escritório de advocacia de Curitiba para mover ações civis e criminais contra pessoas que tenham exagerado nas críticas. “Eu tenho um grande tesouro na minha vida, que construí em termos de moral e preso muito isso”, afirmou.

 

Pedidos aceitos

No fim da tarde o prefeito Paranhos anunciou que aceitou os pedidos de exoneração, lamentou a decisão de Dillenburg, mas deixou a entender que a polêmica da obra do PDI influenciou na saída.

 “Lamento, pois além de um profissional extremamente competente e dedicado, é um amigo de longa data e vinha desempenhando um papel relevante no governo. Reitero a certeza que tenho da conduta ética e ilibada do Fernando, comportamento que tem pautado sua atuação na vida pública e privada desde sempre”.

Paranhos disse entender que a motivação da saída possa ter sido a polêmica em torno da obra do Eco Park. “Quanto a isso, insisto: nenhum dos dois cometeu qualquer ato ilícito. Deram pareceres técnicos e não autorizaram – nem tinham poder para isso – qualquer substituição de material, decisão que foi tomada unilateralmente pela empresa responsável pela obra”, ressaltando que “qualquer alteração na obra não poderia prescindir de um aditivo prévio, assinado pelo prefeito e publicado em diário oficial, o que em nenhum momento aconteceu”.

 

Processo administrativo

Após a saída dos auxiliares, Paranhos anunciou um processo administrativo e nomeou os servidores Nadia Carenina Parcianello Taniguti, Elisete Dias Viana e Adir dos Santos Tormes para formar a comissão que conduzirá o processo para apurar a responsabilidade da empresa Contersolo Construtora de Obras na execução do bueiro que vem sendo foco de polêmica na obra do Parque Linear do Bairro Morumbi.

 

Participe do nosso grupo no WhatsApp

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE