Uma oficina realizada em Entre Rios do Oeste serviu para fundamentar metas e objetivos na construção de um Plano de Ação para a promoção da agroecologia e desenvolvimento da certificação orgânica. A Oficina do Paraná Agroecológico tem por base a formação de redes técnicas e sensibilização dos produtores e líderes de organizações a respeito do cenário agroecológico no Estado. Questões regionais passam a fazer parte do contexto com a participação de líderes de toda a região oeste na oficina.

Na relação de objetivos específicos estão as redes de integração nas diferentes áreas, comercialização, pesquisa e ensino para maior eficiência dos trabalhos; apoio financeiro às iniciativas de agricultores na conversão e consolidação de sistemas de produção; capacitação dos agricultores e técnicos para a condução de sistemas de produção; formação de estudantes do ensino fundamental, médio e superior nos princípios agroecológicos; informação aos consumidores quanto à importância dos produtos obtidos em sistemas inspirados na agroecologia; sensibilização das populações e organizações do meio rural e urbano acerca da importância da agroecologia no cenário atual e futuro em que se insere a sociedade paranaense.

Participaram da oficina, em Entre Rios do Oeste, representantes do CPRA (Centro Paranaense de Referência Agroecológica), Unioeste (Universidade Estadual do Oeste do Paraná), do Capa (Centro de Apoio e Promoção da Agroecologia), da Biolabore (Cooperativa de Trabalho e Assistência Técnica do Paraná), da Itaipu Binacional, da Gebana, do Programa Paraná Mais Orgânico, do Instituto Emater, do Iapar (Instituto Agronômico do Paraná), do Sebrae-PR, da Fundepar (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional) e de agricultores e nutricionistas.

De acordo com a vice-presidente da Biolabore, Cristiani Cavilhão, o evento teve dentre seus princípios a construção do Plano de Ação para identificar as principais dificuldades encontradas para o avanço da agroecologia e metas para serem traçadas e cumpridas para superar essas dificuldades e como gerar um ambiente positivo à produção na região oeste do Paraná.