Um dos setores mais importantes dentro da cadeia produtiva, a indústria automobilística volta a ganhar as ferramentas para galgar um novo patamar. O Programa Rota 2030 tem um diferencial que promete dar um novo norte às montadoras e permitir ao setor um grande salto para o futuro: aliou o incentivo fiscal ao compromisso de pesquisa e desenvolvimento.

O Rota 2030 pode ser considerado o terceiro grande marco da indústria, depois da política de incentivo à industrialização ocorrida na metade do século passado e da abertura comercial no fim da década de 90, que transformou nossas “carroças” em carros de primeira linha.

Os últimos anos de intensa crise econômica brasileira, regional e mundial sacudiram o setor, que agora tem a chance de “renascer” das cinzas em uma forma mais esplendorosa.

Os incentivos criados pelo Rota 2030 vão permitir à indústria automobilística fazer frente às grandes montadoras mundiais e, quem sabe, superá-las em termos de tecnologia, conforto e segurança dentro do quesito mobilidade urbana.

Com pesquisas e desenvolvimento em menores impactos ambientais, ganha a sociedade como um todo. Além do óbvio: geração de emprego e renda e o consequente desenvolvimento econômico.

Vale destacar que as regiões oeste e sudoeste do Paraná fazem parte diretamente deste marco da história. É que os avanços conquistados, os detalhes bem elaborados e a agilidade que o programa pedia são resultado da dedicação e do compromisso do deputado Alfredo Kaefer, que cumpriu mais essa missão e honrou o verdadeiro papel de um parlamentar.