Tenho me inspirado muito em Santo Agostinho, que por um longo tempo iniciou sua busca pela fé, alternando-se entre a carne e o espírito em seu desenvolvimento.

O tempo, que nos foi dado de para o desfrute e governo de tudo que esta por aqui na terra, precisa ser bem aproveitado.

Nas orações, temos um grande exemplo disto, e aproveito para lhe perguntar. Você tem aproveitado para encerrar um ciclo a cada oração que você realiza?

Quando me dou conta, percebo que o meu dia se foi e sobra pouco tempo para me dedicar à oração. Outros deveres nos chamam para serem executados e finalizados e o tempo acaba ficando menor para agradecer. Muitas vezes fazemos isto no final do dia, no final de nossas energias diárias, minutos antes do sono bater.

A fonte e outros intelectuais nos orientam que não precisamos nos refugiar num mosteiro para orar mais. Faz sentido quando passamos a agir, mesmo que com pequenos atos de colaboração, atos de serviço contribuem para a harmonia no mundo. Isto também se caracteriza em uma homenagem a Deus.

A perfeição nestes atos de serviço não é prioridade, onde o mais importante de fato é que sejam realizados. A famosa frase, feito é melhor do que perfeito.

Não adianta nada começar a rezar e não terminar. Quero contribuir para dar um jeito na sua mania de não terminar o que começa.

Porque, de fato é tão importante concluir os nossos deveres, antes mesmo de começa-los.

E como concluir algum ato, para que se tornem uma forma de oração ou agradecimento.

A verdade necessita ser dita, quanto mais ciclos abertos vamos deixando para trás, mais o mundo vai ficando incompleto. E só cabe a nós mesmos, assumir a responsabilidade total para que possamos mudar a chave e completar nosso mundo.

Está mais do que na hora de colocar os tijolos que faltam em suas histórias não terminadas. Que tal fazer uma lista de pequenos ciclos a serem fechados?

Vou lhe ajudar, enumere três coisas que você começou na semana passada e que ainda estão incompletas. Para a inspiração ficar completa, vamos trabalhar em direção ao céu, pois, nossas ações mais superficiais, como lavar algo, fazer o almoço, pagar um boleto podem subir em direção ao céu, como um verdadeiro ato de caridade.

O início de tudo é dar a essas ações um caráter de oração, sim, coloque em oração aquilo que esta sendo feito. Dentro do que você listou, há algo que pode ser feito hoje mesmo?

Se você realizar esta tarefa, da melhor maneira que puder, o seu mundo teria maior completude, mais beleza?

Alguém ficaria feliz com sua tarefa realizada? E oferecer ela a Deus? Poderia fazer agora?