Não se trata apenas de “gerar renda” para quem trabalha com recicláveis, o que também importante, mas, a coletiva seletiva tem relação direta com a saúde e o bem-estar das pessoas porque evita a disseminação de doenças e protege o meio ambiente. Quem participa do processo da coleta seletiva, contribui para que os resíduos produzidos por toda sociedade sejam destinados corretamente. Por isso, adotar rotinas e preparar sua casa ou empresa para separar corretamente o lixo produz inúmeros benefícios.

Em Cascavel, o esse trabalho bem sendo ampliado e organizado através de estruturas chamadas “Ecopontos”, que servem para dar suporte aos trabalhadores que atuam na reciclagem, fazendo o processo de reaproveitamento do lixo descartado, encaminhando a matéria-prima com o objetivo de diminuir o impacto ao meio ambiente. Com apoio do município, eles integram cooperativas e podem fazer a reciclagem com condições dignas. E, devido à proximidade da entrega da última unidade, localizada na Rua Manaus, foram instituídos novos setores para esta coleta na cidade. A mudança ocorreu considerando a área de abrangência de cada ecoponto, de forma geograficamente estratégica.

Foram delimitados seis grandes setores de acordo com a localização de cada ecoponto e sua região. Os setores foram subdivididos em 34 pontos de coleta e o novo cronograma para o serviço passa a valer a partir do dia 25 desse mês.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente entende que a melhor forma para o bom andamento dos trabalhos nos ecopontos é a construção de um vínculo entre a cooperativa que opera um determinado ecoponto e a comunidade do entorno. Dessa forma, também houve a necessidade de alteração de alguns dias de coleta em alguns bairros onde já havia um cronograma em execução.

Para a engenheira ambiental da Divisão de Resíduos Sólidos da secretaria, Keila Kochem, essa alteração também tem o objetivo de aumentar o material nos ecopontos e também reduzir a ação dos atravessadores. “O material coletado nessas áreas será encaminhado ao ecoponto da região. O mesmo ocorrerá com as atividades de reposição de bolsas e educação ambiental, entre outras, que será executada pelas cooperativas parceiras, cada uma na sua área de influência”, explica Keila.

 

Ecopontos

Cascavel já possui cinco ecopontos em operação, sendo eles no Santa Cruz, Melissa, Brasília, Cascavel Velho e Quebec que funcionam de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Já o ecoponto, da Rua Manaus, que está com as obras em fase de conclusão, com previsão de entrega para meados de novembro, vai funcionar de forma especial como Centro de Educação Ambiental de Cascavel. Atualmente, 120 cooperados estão inseridos no processo. A quantidade de material reciclável processado varia entre 280 a 320 toneladas por mês.

Todo material coletado pelos caminhões da OT Ambiental é direcionado para os ecopontos, onde os cooperados realizam o recebimento, triagem por tipo e o processamento (prensagem). A renda dos cooperados que atuam nos ecopontos é o resultado da comercialização do material processado. Com a venda dos materiais, são pagas despesas com combustível, alimentação, impostos, material de consumo, manutenção de veículos e equipamentos. Depois, o lucro é dividido de forma igualitária entre os cooperados.

 

Antigo Ecolixo será ponto de educação ambiental

 

O antigo e conhecido “Ecolixo” está recebendo uma ampla completa para se tornar o Centro de Educação Ambiental de Cascavel. Assim que ficar pronto, o barracão receberá diariamente caminhões da coleta de reciclados integrando a rede municipal com seis ecopontos em diferentes regiões da cidade.

Além de esteiras, carrinhos, prensas, balanças, mesas para atuação dos coletores, o Ecoponto da Manaus terá salas de treinamento para Educação Ambiental, atuando diretamente com formações, cursos, aulas para crianças e ainda vai abrigar a sede administrativa da Secretaria Municipal de Meio Ambiente. “A obra deve ser entregue e inaugurada em novembro”, disse o engenheiro da Sema, Ulysses Zaror. A construção é parceria com a Itaipu Binacional e prevê investimento de R$ 1.338.285,30.

 

(Jessica Milena/Redação)

Confira no QR-cod o mapa atualizado da coleta!