Tudo vem, e também vai, às vezes num tempo incerto. Todos a bordo, prontos para os novos desafios, como numa viagem…. A única certeza da magia da vida é que ela passa. Se a vida é sopro, vamos viver, amar, correr, sorrir, chorar

 

O absoluto da vida, a existência, enfim, mostra que devemos nos preparar para aceitar tudo que o destino nos oferece. Não temos, em geral, opção de escolha. Assim, quando paramos para uma reflexão, como atualmente, na travessia de um período muito difícil ocasionado pela pandemia da Covid-19, onde renovamos nossa esperança de dias melhores, e em breve, ao nos questionarmos por que tal e qual coisa aconteceu, a realidade responde como um eco: por que não?!

A sabedoria popular diz que “não há bem que sempre dure, nem mal que nunca acabe”. Se colhemos o que plantamos, nossas escolhas e realizações proporcionarão suas consequências nesta nova etapa. O universo é uma energia da qual fazemos parte, cada um de nós. O ponto de equilíbrio é pendular, e se não fosse assim não teria graça. Imagine uma vida “morna”, com tudo previsível.

Li a bordo de um navio, a uma centena de quilômetros da costa brasileira, num cruzeiro há muito planejado, um livro do cientista norte-americano Carl Sagan, famoso pela publicação de um livro que depois virou série de televisão, “Cosmos”. Nesse outro livro, chamado “Murmúrios da Terra”, ele comenta a dificuldade de mudanças, o tempo que escorre levando nossas vidas, muitas vezes sem um sentido, um propósito, e a necessidade de os habitantes de nosso planeta entenderem o milagre que é a vida, a necessidade de solidariedade e fraternidade entre todos os povos. No transcorrer de seu ensaio, mestreando filosofia com ciência, aponta a solução para a minimização dos conflitos: a educação e o conhecimento. Num determinado ponto, cita uma frase de Platão: “tudo se transforma, e depois acaba”. Essa frase ficou e está martelando minha cabeça, e faz um bom tempo.

Mas a esperança minha, e creio que de todos, é de um tempo renovado no pós-pandemia, com mais leveza. Sempre fui um otimista com relação a pessoas e instituições. Que vivamos, então, com intensidade, e que façamos o nosso melhor, cada um do jeito que souber, visando o amor e a fraternidade em seus mais belos significados. Tudo vem, e também vai, às vezes num tempo incerto. Todos a bordo, prontos para os novos desafios, como numa viagem. A única certeza da magia da vida é que ela passa. Se a vida é sopro, vamos viver, amar, correr, sorrir, chorar, ver a lua, ver o sol nascer e se pôr, tomar banho de chuva, brincar como uma criança, cantar, representar, ler, escrever, perdoar, dizer o que sentimos, reencontrar um velho amigo da juventude, contar o que vivemos, contar o que esperamos, falar dos sonhos, enfim, ser e fazer a felicidade.

 

Dr. Márcio Couto – Médico Cardiologista.

CRM-PR 14933. Membro da diretoria da AMC.