Toledo – A chuvarada esperada para a semana passada não se confirmou no volume previsto o que serviu de alento para o campo no fim de semana. O plantio da soja, que estava estacionado em 55% das áreas até a metade da semana passada, avançou para 70% até ontem. Agora, o oeste já tem mais de 800 mil hectares cultivados com a oleaginosa nos Núcleos Regionais da Seab (Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento) de Cascavel e de Toledo.

Segundo o técnico do Deral (Departamento de Economia Rural) em Cascavel José Pértille, metade das áreas está em germinação e metade em desenvolvimento vegetativo.

A expectativa, segundo Pértille, é de que em duas semanas toda a área a ser destinada à soja esteja cultivada. Isso significa que, em toda a região, em 48 municípios, sejam quase 1,1 milhão de hectares destinados à cultura de onde se espera colher 3,9 milhões de toneladas.

Ao passo que o plantio da soja avança, a colheita do trigo também se intensifica. Dos 195,6 mil hectares com o cereal na safra de inverno, ao menos 30% ainda esperam para deixar o campo, ou seja, cerca de 60 mil hectares. “Ainda não temos avaliação do percentual de perdas em decorrência dos fatores climáticos, mas temos encontrado trigo com pH acima do ideal para a comercialização com bons valores, que é de pelo menos 78%, temos encontrado trigo com pH inferior e temos encontrado plantações que já se tornaram um subproduto, o triguilho. De todo modo, sabemos que o cereal mais exposto à umidade perde qualidade. Acreditamos que em mais uns 15 dias tenhamos colhido tudo e aí teremos um diagnóstico para apresentar”, reforçou.

Milho na safra de inverno

O Deral deverá fechar nesta semana os dados sobre as perdas da safra de inverno nas lavouras de milho, o principal cereal cultivado no oeste na safrinha. De antemão, o que se sabe é que as perdas deverão ser confirmadas nos 20% já anunciados ainda durante a colheita. Assim, o oeste deverá fechar com 4 milhões de toneladas do cereal em mais de 750 mil hectares de lavouras.

Já o cultivo de milho na chamada primeira safra, que acaba de ser cultivada e que seria a ideal para o bom desenvolvimento das lavouras sem riscos iminentes, não deverá ter área superior aos 30 mil hectares em toda a região. Pode até parecer pouco, mas somente no núcleo de Cascavel, onde no ciclo 2017/2018 foram 9 mil hectares, este ano será quase o dobro, 17 mil hectares. “O motivo para ampliação da área está no bom preço praticado para o cereal, mesmo assim, se comparada ao cultivo da soja e à safrinha, ela é pouco expressiva”, segue o técnico José Pértille.

O milho está todo plantado na região e 100% das lavouras estão em desenvolvimento vegetativo.

O tempo

O produtor que vai ao campo nesta semana para colher trigo ou plantar a soja poderá encontrar um complicador. A previsão é de pelo menos 60 milímetros de precipitação até a segunda-feira da próxima semana. Hoje, por exemplo, pode chover próximo dos 20 milímetros, segundo o Simepar. Amanhã outros cinco mm e a chuva promete dar uma trégua na quinta e na sexta-feira. Já no sábado, no domingo e na segunda ela deve voltar. As temperaturas não devem mudar muito, com mínima na casa dos 14ºC e máxima variando de 24ºC a 29ºC nos próximos dias.