Brasília – Depois de mais de seis horas de sabatina, a CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado aprovou nessa terça-feira (24), por 21 votos a 6, a recondução de Augusto Aras para o cargo de procurador-geral da República. Ele foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para um segundo mandato de dois anos mesmo estando fora da lista tríplice aprovada pela classe.

A indicação ainda vai passar por votação no plenário da Casa Legislativa. Aras precisa da maioria absoluta dos votos dos senadores (41 dos 81) para ter sua nomeação confirmada.

O procurador-geral da República chega ao fim do primeiro mandato sob críticas por um suposto alinhamento ao governo federal.

Aos senadores, Aras defendeu que sua gestão foi “sóbria e técnica”. Ele disse que discordou de 30% dos pedidos liminares feitos pelo governo federal e em 80% das manifestações relacionadas à covid-19. “O MP não é de governo nem é de oposição”.