Curitiba – As três dezenas de cargos comissionados que o Tribunal de Justiça considerou ilegais na Sanepar serviam para abrigar ex-políticos que estavam sem mandato. Ex-prefeitos, ex-deputados e pelo menos um ex-vereador de Curitiba ganharam os cargos em comissão que, conforme a decisão judicial, eram irregulares.

A lista conta com três ex-prefeitos. Celso Sâmis da Silva governou Foz do Iguaçu. Vilson Goinski foi prefeito de Almirante Tamandaré. E Flávio Luiz Maiorky já foi prefeito em Santo Antônio da Platina, no Norte Pioneiro.

Também são três os ex-deputados: José Lucio Cioni, Walmor Trentini e Antônio Carlos Baratter, este último de Cascavel. Marco Paulo Gastaldi era assessor parlamentar do ex-deputado estadual Durval Amaral, hoje conselheiro do Tribunal de Contas do Estado.

Houve espaço também para o ex-vereador Jair Cezar, de Curitiba, e alguns ex-diretores de outros órgãos públicos, como João Francisco Busato, do IPMC (Instituto de Previdências do Município de Curitiba).

Todos eram “consultores estratégicos” da empresa.