A cena não foi bonita, mas o brasileiro João Vítor de Oliveira conseguiu se classificar para a segunda fase da prova dos 110 metros com barreira mesmo caindo no chão poucos metros antes da linha de chegada.

O atleta costuma projetar o corpo para a frente ao final de suas provas, mas após a forte chuva que caiu mais cedo sobre o Engenhão, a impressão foi que ele tinha escorregado.

? Se eu sinto necessidade de fazer eu faço, ano passado tive até uma lesão na costela ? contou o atleta após a prova, em entrevista ao SporTV. ? O que vale é o tronco. Não adianta o pé estar na frente. Isso aqui é Olimpíada, é corrida séria. Independente de saber que eu ralei o joelho, valeu.

Classificado, o brasileiro garantiu que se precisar se valer do recurso novamente nas semifinais, dará outro “peixinho”.

? Com certeza absoluta. Isso aqui é Olimpíada, vai ser disputado.

O outro brasileiro da noite, Éder Antônio de Souza também conseguiu se classicar, outra vez em quarto lugar, na bateria seguinte.