Dez pilotas já estão confirmadas entre as mais de 460 inscrições realizadas até aqui para a 56ª edição do Campeonato Brasileiro de Kart, que será disputada entre os dias 6 e 18, no kartódromo Beto Carrero, em Penha (SC).

É uma das maiores participações femininas no grid da principal competição de kart do país, número celebrado pelas competidoras que esperam ver mais e mais rivais do mesmo sexo nas pistas.

Com pilotas de diversas faixas etárias – desde uma Cadete de 11 anos, até uma representante da F-4 Super Sênior Máster (categoria acima de 55 anos) -, elas querem mostrar que o kart não tem sexo e nem idade. É uma modalidade para todos.

Elas contam não ter medo de dividir as curvas em alta velocidade e que o preconceito, infelizmente ainda sentido em algumas situações, serve como uma motivação extra para quebrar barreiras.

A catarinense Antonella Bassani, de 15 anos, é a que disputará mais categorias. A pilota, que foi selecionada nos dois últimos anos para a disputa da seletiva FIA Girls on Track na Europa, com as melhores kartistas do mundo, correrá nas categorias KZ Graduados, Júnior, F-4 Júnior e F-4 Graduados.

“Estou muito feliz por participar de mais uma edição do Brasileiro e agora disputar quatro categorias. No Open, tive resultados positivos. Fui vice-campeã na F4 Graduados e fiquei em quinto na Júnior. No Brasileiro, vamos pra cima”, contou.

Gerações distintas

Algumas gerações separam a pilota mais jovem da mais “experiente” entre as 10 mulheres no grid. A mais nova é a paranaense Giovana Krupp Marinoski, de 11 anos, que vai acelerar na Cadete. “Minhas expectativas são boas para conquistar um bom resultado”, declarou a pilota, com toda a timidez da idade. Giovana defenderá a equipe Clínica Pneumoair/Explorer Informática/Ananias Imóveis/MRcar/Distribuidora Parmera/Instituto ASR

Do outro lado, está a capixaba Marcia Cristina Lucas de Almeida, que vai correr na F-4 Super Sênior Máster. Apaixonada por velocidade, ela começou a correr de kart profissional em 2019. “Vai ser o meu primeiro Brasileiro. Vou correr com pilotos que têm muitas experiências, mas tentarei vencer meus limites. Creio que para mim vai ser uma grande experiência”, analisou.

“Aqui no Espírito Santo, eu sou a única mulher a correr com os homens. Amo velocidade e torço para que aqui e, também em outros lugares, mais mulheres participem desse esporte. Lógico que tive e tenho que vencer muitas barreiras, como muitas que também amam o kartismo, para estar na pista. A presença feminina é muito importante, principalmente quando se ama velocidade. Baixou a viseira na pista, todos são pilotos”, completou Marcia Cristina.

As inscrições para o Campeonato Brasileiro seguem abertas no site da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) por meio do link: https://inscricoes.cba.org.br/pt/eventos/brk-etapa-unica.

A paranaense Giovana Marinoski será a mais nova a competir no Campeonato Brasileiro de Kart deste ano

 

 

 

Londrina

Com treinos particulares, começa hoje no Autódromo Internacional Ayrton Senna, em Londrina, a programação da terceira e última etapa do Campeonato Paranaense de Velocidade. Amanhã serão realizados os treinos classificatórios e as provas serão no domingo. A etapa de Londrina irá definir os campeões das categorias Marcas A, Marcas B, Turismo A, Turismo B e Turismo B.

 

Speed

Também faz parte da programação do Paranaense de Velocidade, a segunda e última etapa do Metropolitano de Speed Fusca de Londrina.

 

Escolas I

Pessoas que têm interesse em ingressar no automobilismo, precisam ficar atento aos chamados professor de escolas de pilotagem. No Paraná. Homologadas pela CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo), e reconhecidas pela FPrA (Federação Paranaense de Automobilismo) só tem duas. A do piloto César Bonilha, em Londrina; e a de Thiago Marques, em Curitiba.

 

Escolas II

Já no Kart, no Paraná, há três escolas oficiais e estão em Londrina, Cascavel e Pato Branco. Elas são geridas pelos clubes destas cidades.

 

Paraná inicia fase decisiva do Brasileiro de Rali

O Campeonato Brasileiro de Rali de Velocidade chega em Campo Magro, no Paraná, para sua quinta etapa nesta temporada e em clima de decisão. Isso porque, a etapa pode apontar os primeiros campeões do ano. Claro que a matemática é bastante complexa ainda nas três categorias. Mas Campo Magro, que volta ao calendário nesta temporada, poderá ter um brilho a mais. Certo é que a disputa promete ser intensa nas três categorias. A Rally 2 – 4×4, tem duas duplas ainda na briga pelo título, ambas do Rio Grande do Sul: Ulysses Bertholdo e Marcelo Dalmut, que chegam na etapa com 59 pontos e os irmãos, Juliano e Rafael Sartori, que somam até aqui 35 pontos.