O Mapa (Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento) lançou na semana passada a cartilha digital de Boas Práticas na Produção de Suínos voltada para a Gestação Coletiva. Também foram apresentadas as conclusões recebidas na consulta pública sobre boas práticas na produção comercial de suínos.

Essa publicação é a primeira de uma série de materiais técnicos para estimular as boas práticas de produção na cadeia de suínos. O objetivo das ações é apoiar o produtor para uma atitude proativa com relação ao bem estar na gestação e maternidade das matrizes.

O material é fruto da parceria entre o Mapa e o IICA (Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura). Segundo a chefe de Divisão de Bem Estar Animal e Equideocultura do ministério, Liziè Buss, a publicação de materiais técnicos informativos para a cadeia é fundamental para facilitar a disseminação de conhecimentos e adoção de melhores práticas. A estratégia atende aos objetivos da Área de Boas Práticas e Bem-Estar Animal, que correspondem à sensibilização, à capacitação e à sustentabilidade da cadeia produtiva.

Liziè lembra que no mundo todo existe uma forte movimentação acerca do BEA. “Desde 2013, a União Europeia proíbe o alojamento de fêmeas em gaiolas na totalidade do período gestacional. Outros países também possuem orientações sobre este tema: Estados Unidos, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, e África do Sul”. “Em outubro deste ano, a OIE (Organização Mundial de Saúde Animal) publicou o capítulo internacional para boas práticas na produção de suínos. E o Brasil, como signatário e um dos maiores players na produção e exportação de suínos, deve fomentar a adoção destas práticas”, completa a especialista.