Cascavel experimenta um dos momentos mais especiais de sua trajetória de quase sete décadas. O município que é referência na geração de empregos, em articulação no enfrentamento ao coronavírus e uma das melhores cidades para morar no Brasil, é também um dos que mais recebem investimentos em obras consideradas estratégicas. “São R$ 200 milhões em projetos transformadores, que se conectam a um conjunto de ações que preparam o Paraná para o futuro”, disse o governador Ratinho Júnior, segunda-feira, na área que abriga o Show Rural Coopavel, durante o lançamento da duplicação de trecho de 5,8 quilômetros entre a Polícia Rodoviária Federal e a Ferroeste.

Para um público formado por líderes políticos e empresariais, Ratinho lembrou que sua gestão é o governo do desafio: “Enfrentamos a maior crise sanitária dos últimos cem anos, a maior crise hídrica dos últimos 91 anos e ainda precisamos vencer dificuldades geradas pela falta de projetos para obras fundamentais para o Paraná e o Brasil, como a nova Ferroeste. Estamos preparando as bases para um estado ainda mais pujante e dinâmico, de grandes feitos e oportunidades, que será conhecido em breve como o centro logístico da América do Sul”, afirmou o governador.

Investimentos

Mesmo com todos os obstáculos, o Paraná atraiu R$ 46 bilhões em investimentos nos últimos dois anos e meio (dessa soma, mais de R$ 7 bilhões são provenientes do setor cooperativista) e é o único do Brasil integrado à OCDE (Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico). “Estamos em Cascavel para lançar e vistoriar três grandes obras, que farão bem a uma região de grande produção e também ao Brasil. Quando se trabalha com seriedade, os resultados são os melhores e ficamos felizes de ser parceiros do prefeito Leonaldo Paranhos e de todos que fazem de Cascavel e do oeste modelos de trabalho, superação e desenvolvimento”.

Vinte anos

O presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, fez uma recuperação histórica do Show Rural, que realizou a primeira edição em 1989, com 110 visitantes, que seriam 298 mil três décadas depois.

Com o crescimento a partir de 2001, quando mais de 100 mil pessoas visitaram aquele que se tornaria o terceiro maior do mundo em disseminação de novos conhecimentos ao campo, percebeu-se a necessidade de melhorar o acesso rodoviário até o parque. “Enfrentamos inúmeras dificuldades. São 20 anos de espera, passamos por cinco governos e só agora esse gargalo finalmente será resolvido”, lembrou Dilvo.

O Show Rural tem responsabilidade com os cooperados da Coopavel, com a agricultura brasileira e com a produção de alimentos para ajudar a alimentar o mundo. “O Paraná detém apenas 2,3% do território brasileiro e responde por 18% da produção de grãos, e obras como as anunciadas pelo governo estadual em Cascavel contribuirão para o fortalecimento de um setor importante à economia brasileira”.

Dilvo citou ainda a luta por um pedágio justo e destacou que a retirada do degrau tarifário, no trecho dessa nova obra na BR-277, trará economia anual de R$ 25 milhões.

Transformação

O secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, ressaltou que Cascavel recebe pacote de R$ 200 milhões de obras transformadoras. E, com a nova Ferroeste e com a nova concessão do pedágio, segundo a vontade do povo paranaense, coisas ainda melhores estão por vir, afirmou.


Obras há muito reivindicadas

 

O que: Duplicação da BR-277 – 5,8 quilômetros de extensão entre a Polícia Rodoviária Federal e o terminal da Ferroeste

Quanto: R$ 48 milhões em investimento

Previsão de término: setembro de 2022

 

O que: Trevo Cataratas – Em fase inicial de execução, com construção de marginais, viadutos e novas conexões com as BRs-277, 369 e 467

Quanto: R$ 68 milhões

Previsão de término: outubro de 2022

 

O que: Contorno Oeste – Obras de duplicação em trecho de 19 quilômetros

Quanto: R$ 68 milhões

Previsão de término: início de 2023