Na missão internacional para expandir o mercado brasileiro de agronegócio na China, o ministro Blairo Maggi (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) se reuniu com o ministro da Agricultura de Hangzhou, discutindo sobre biotecnologia.

Segundo Blairo Maggi, a política de uso de OGM (Organismo Geneticamente Modificado) estabelece normas de implementação que vão desde a comercialização ao consumo. “Há dois anos a comissão chinesa que corresponde a uma CNTbio [no Brasil] não se reunia conosco para discutirmos a pauta de transgênicos, e por isso, estávamos impedidos de vender pra eles”, disse o ministro.

A China é o segundo maior mercado consumidor e importador de todo o mundo e importará mais de US$ 10 trilhões nos próximos cinco anos.

“Precisamos avançar nas negociações e saímos daqui muito otimistas. Nossa agenda na Ásia foi desde reanálise de salvaguardas a alguns de nossos produtos; a questão da biotecnologia; a ampliação da pauta de exportação para mais noves produtos e, ao final, a abertura do mercado da Coreia do Sul para a carne suína brasileira. Temos muito a comemorar e a fazer daqui pra frente”, salientou Blairo Maggi.