Zebra da Eurocopa, a seleção da Islândia atraiu todos os tipos de fãs no mundo inteiro – mas já deixou claro que não quer saber de seguidores racistas. Em comunicado divulgado nesta sexta-feira, a Federação de Futebol da Islândia (KSI) lamentou a propaganda de um partido de extrema-direita da Dinamarca, cujo conteúdo insinuava que a França não deveria ter superado a Islândia nas quartas de final por ter atletas de origem africana.

– Em meio à alegria e ao orgulho após grandes resultados na Eurocopa, é lamentável encontrar preconceito como na propaganda do partido dinamarquês Danskernes Parti. (…) Forças separatistas não têm lugar no futebol, e as autoridades de futebol da Europa vêm lutando fortemente contra o racismo no esporte – diz o comunicado da KSI.

No anúncio em questão, feito pelo Danskernes Parti, uma imagem do meia Aron Gunnarson, capitão e um dos principais jogadores da Islândia na Eurocopa, aparece sob a legenda “Europa”. Já uma imagem de jogadores negros da França, como Pogba e Matuidi, aparece sob a legenda “África”.

A mensagem do anúncio diz que a Europa não deve ser “transformada em um quintal da África”, o que revoltou os islandeses, que frisaram não ter qualquer relação com o anúncio.

– Na Eurocopa, a Islândia e os islandeses ganharam o respeito do mundo com uma atitude positiva. A contraindicação da KSI reforça que não temos qualquer relação com propagandas de ódio como essa – afirma a nota.