A primeira fase do Campeonato Paranaense de Futebol Sub-19 já terminou há quase duas semanas e o Cascavel Clube Recreativo se despediu dela com apenas três vitórias em 14 jogos disputados pelo Grupo A. Ainda assim, tem seu escudo em posição de destaque na competição. Tudo graças a Joelton Antônio Alencar de Oliveira, seu camisa 9 que marcou 15 gols em 14 partidas e lidera a lista dos artilheiros do Estadual.

O jogador, que é conhecido pelo apelido de Cabelo mas adotou o penúltimo sobrenome Alencar como codinome, fez sozinho mais da metade dos 28 gols do Cascavel CR no Paranaense.

Apesar de ter 1,85m e ser centroavante de ofício, ele não tem anotado ainda gol de cabeça no certame. “O rebote é meu ponto forte”, explica Alencar, que prevê a trajetória da bola rebatida pela zaga para se posicionar na melhor posição para finalizar em gol.

Com 20 anos de idade e jogador profissional desde os 17, Alencar mora em Cascavel desde os 15 anos, época em que passou a atuar pelo CCR depois de passar três temporadas vindo à cidade praticamente todos os dias, de Assis Chateaubriand, para treinar na escolinha da Globoaves, do professor José Carlos.

 

Sequência de jogo

Ainda no topo da lista de artilheiros do Paranaense de Futebol Sub-19, mesmo com o Cascavel CR fora da competição, Alencar lamenta o fato de estar sem jogar. Principalmente porque sabe que o ritmo de jogo faz diferença na profissão – marcou quatro gols em sete jogos no primeiro turno e 11 nos sete jogos do segundo. “Tenho contrato com o CCR até o Paranaense de 2019 e gostaria de estar atuando até lá. Recebi propostas para atuar no Paulista Sub-20 e na Terceira Divisão do Catarinense neste ano e na Segundona do Paranaense 2019, mas ainda as estou estudando. Gostaria de jogar em clube estruturado. É complicado para um jogador ficar sem atuar, perde a sequência”.