A Unidade Básica de Saúde São Cristóvão em Cascavel iniciou nesta semana os encontros do grupo de apoio a pessoas com sobrepeso/ obesidade. Já em sua segunda edição, o grupo constitui-se em uma ação que visa melhorar a qualidade de vida das pessoas que muitas vezes apresentam, além do sobrepeso, comorbidades como hipertensão arterial, diabetes, Pré diabetes, dislipidemia, entre outras, além de evidentes fatores emocionais que acometem os pacientes, rebaixando sua auto-estima.

Foi pensando no bem estar de todos os pacientes atendidos diariamente que a Unidade São Cristóvão implantou, ainda em 2017, o projeto de apoio para portadores de sobrepeso/obesidade, cujos focos são: perda de peso, adoção de hábitos mais saudáveis de vida e o tratamento de doenças relacionadas. Os resultados foram muito satisfatórios!  Esse primeiro grupo alcançou, coletivamente, cerca de 100 kilos de perda de peso, além da melhora clínica evidente.

O grupo consiste em "reuniões quinzenais, acompanhamento clínico, exames laboratoriais e assessoria permanente da Equipe da UBS São Cristóvão", destaca Maria Elisa Donadel, coordenadora da unidade.

De acordo com a Dra. Andréia Mota Trein, Médica clínica geral da Unidade e Especialista em nutrologia, " Controlar o peso vai além da melhoria da aparência: na verdade a melhoria acontece como um todo, garantindo saúde, pois a obesidade aumenta de forma importante o risco do desenvolvimento de problemas de saúde".

Lembrando que os encontros contam com profissionais de psicologia em parceria com Universidades, bem como o envolvimento de toda equipe multiprofissional. Maiores informações podem ser obtidas na UBS São Cristóvão: Rua Cartola, esq. c/ Ermelindo de Leão, s/n, São Cristovão. Fones: 3902-2665 / 3902-2667

  OBESIDADE

 A obesidade é decorrente do acúmulo de gordura no organismo, que está associado a riscos para a saúde, devido à sua relação com várias complicações metabólicas. Pode ser compreendida como um agravo de caráter multifatorial, pois suas causas estão relacionadas a questões biológicas, históricas, ecológicas, econômicas, sociais, culturais e políticas. 

Trata-se simultaneamente de uma doença e de um dos fatores de risco mais importantes para outras doenças crônicas não transmissíveis, como doenças cardiovasculares e Diabetes mellitus. 

A prevalência da obesidade vem aumentando entre adultos, tanto nos países desenvolvidos quanto naqueles em desenvolvimento. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que pelo menos 1 bilhão de pessoas apresente excesso de peso, das quais, 300 milhões são obesos. A Pesquisa de Orçamentos Familiares realizada pelo IBGE em 2008/09 aponta aumento da prevalência de sobrepeso e obesidade no Brasil, atingindo os valores de aproximadamente 49% e 15% da população. Houve, ao longo de 34 anos, um aumento de sobrepeso de três vezes para homens e duas para mulheres. 

A determinação multifatorial do sobrepeso e da obesidade está relacionada ao modo de vida das populações modernas, que consomem cada vez mais alimentos processados, energeticamente densos e ricos em açúcares, gorduras e sódio, com uma quantidade de calorias consumidas além da necessidade individual. Esse desequilíbrio decorre, em parte, pelas mudanças do padrão alimentar aliadas à reduzida atividade física, tanto no período laboral como no lazer. 

Uma vez que as causas do sobrepeso e obesidade não são apenas individuais, mas também ambientais e sociais, a prevenção e o tratamento desses agravos requerem medidas complexas, uma atuação articulada entre os vários setores da sociedade que contribuam para que indivíduos e coletividades possam adotar modos de vida saudáveis.