Diante da baixa adesão da greve dos zeladores do Município de Cascavel, ontem, é grande a possibilidade de a categoria suspender a mobilização nesta terça-feira. Até as 9h desta terça-feira a decisão deve divulgada.

A segunda-feira começou com 23 servidores de braços cruzados. Eles reivindicam aumento salarial de R$ 954 pra R$ 1.080 mais abono de R$ 170. Outra reivindicação é o não remanejamento de servidores. O grupo de representantes dos servidores se reuniu logo com o secretário de Planejamento e Gestão, Edson Zorek, para discutir sobre a greve e apresentar suas reivindicações.

“Todos ficaram tensos principalmente diante da relutância do prefeito em garantir que não haveria transferência para setores não correlatos. Da forma como nós propomos, ainda seria possível transferir o servidor de uma UPA para outra, de uma escola para outra, só não queremos que isso ultrapasse a secretaria onde a pessoa trabalha, até para não comprometer a qualidade do serviço prestado”, argumenta o presidente do Sismuvel (Sindicato dos Servidores Municipais de Cascavel), Ricieri D’Stefani Júnior.

Zorek disse que o abono salarial não poderá ser mantido e pediu voto de confiança alegando que o Município já avançou bastante em benefícios para a categoria. Afirmou ainda que não pode garantir o não remanejamento, mas que fará o possível para avaliar cada caso.

Outras reivindicações

O grupo de servidores que se reuniu com o secretário trazia uma lista de outras solicitações como: adicional para merendeira, salário igual aos terceirizados, adicional de insalubridade para todas as zeladoras, elevação de nível com promoção vertical, auxílio alimentação, adicional de urgência e emergência a zeladores da UPA e o fim do desvio de função, que, segundo eles, é prática comum. Ao fim da reunião, ficou acordado que o Sismuvel apresentaria as reivindicações em forma de documento. O secretário Edson Zorek prometeu avaliar as reivindicações.